Cabo da PM baleado na cabeça ao tentar impedir assalto morre depois de seis dias

0

O cabo Anderson Heráclito Gaspardine, de 43 anos, do 35º Batalhão da Polícia Militar (PM), morreu no início da noite desta segunda-feira no Hospital João XXIII. Ele estava internado havia seis dias na unidade de saúde depois de levar um tiro na cabeça ao tentar intervir em um assalto a uma casa no Bairro Cristina, em Santa Luzia, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Segundo o major Evair, comandante do batalhão, ainda não há informações de onde será o sepultamento do militar. 

Anderson estava de folga e tentou defender sua cunhada, logo após ela estacionar o carro na porta de casa, na Avenida Joaquim Lourenço de Oliveira. Segundo relatos da mulher, ela foi até a casa de uma irmã com outras duas pessoas no carro. Por volta das 21h30, estacionou o carro na porta, as duas irmãs desceram e entraram na residência. 

Quando ela trancava o carro, foi abordada por dois homens, que anunciaram o assalto. Nesse momento, o policial militar saiu à rua e percebeu a situação. Ele voltou à casa, buscou a arma e saiu novamente, quando foi atingido por um tiro na cabeça. De acordo com as informações que constam no boletim de ocorrência, ao levar o tiro, o cabo caiu e não esboçou nenhuma reação. Ele foi socorrido por moradores para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do São Benedito, mas em virtude 

Os criminosos fugiram e ainda não foram encontrados. “Estamos fazendo diligências sobre o caso. Já estamos no encalço deles”, afirmou o comandante do 35º batalhão.

Deixe um Comentário

Deixe um comentário
Digite seu nome aqui