PC prende integrantes de grupo que aplicava golpes pela internet no Vale do Mucuri

0

preso-em-miradouro-foragidoA Polícia Civil de Teófilo Otoni (MG) prendeu, nessa segunda-feira (09), dois homens de 28 anos suspeitos de integrarem uma quadrilha que aplica golpes pela internet no país. De acordo com a PC, os detidos são de Vitória da Conquista (BA) e estavam no Vale do Mucuri há aproximadamente três meses aplicando o golpe. Durante a operação, um adolescente de 17 anos também foi detido.

Segundo o delegado Luciano Cunha de Lima, o grupo rastreava os dados bancários de empresas e de pessoas físicas de todo Brasil, por meio da internet, e em seguida tinham acesso as contas bancárias dessas vítimas, de onde era retirada uma quantia em dinheiro. Os dois presos em Teófilo Otoni recrutavam moradores da região para participar do golpe.

“A função deles era recrutar integrantes, ou seja moradores da cidade, para que esses fornecessem os dados bancários para o recebimento de valores desviados por meio transações fraudulentas. O líder da quadrilha aqui na região informou que ele ficava com 10% do dinheiro arrecadado e o restante era enviando para o hacker”, explicou.

Lima informou que um dos autores do crime, apontado como o líder da quadrilha na região, confessou a participação no golpe, e disse que não conheceu pessoalmente os hackers. “Segundo ele, todo o contato dele com esses hackers eram feitos via internet. Eles não o conhecem e somente foram contratados para participar do golpe. O preso disse ainda que 80% do lucro ia para os hackers, pois eram eles que possuíam a habilidade do acessos as contas
bancárias”.

De acordo com a PC, o grupo conseguiu desviar R$ 90 mil da conta de uma empresa do ramo farmacêutico no Sul do Brasil.

Outros envolvidos
Durante a operação, o delegado chegou a ouvir quatro pessoas que teriam cedido as contas bancárias para que a quadrilha depositassem o dinheiro que eram desviados das empresas.

“A princípio eles foram somente ouvidos, pois apuramos até o momento que eles não sabiam do que se tratava. O líder da quadrilha procurava esses moradores e dizia que precisava de uma conta para receber um dinheiro de alguma transação, mas não especificava o que era”, concluiu.

O delegado explicou também que o adolescente de 17 anos foi contratado pela quadrilha, para ficar na fila dos bancos, até chegar o momento do saque, quando o dono da conta ia até o estabelecimento e realizava a retirada do dinheiro.

Os presos foram levados para o presídio de Teófilo Otoni e podem responder por estelionato, formação de quadrilha e corrupção de menores. A Polícia Civil vai continuar investigando o caso.

Deixe um Comentário

Deixe um comentário
Digite seu nome aqui