Em 2020, Uberlândia tem o pior desempenho na geração de empregos no primeiro semestre desde 2003

0
Comércio foi o setor que mais demitiu no primeiro semestre de 2020 — Foto: Vanessa Pires/G1

Uberlândia fechou 4.363 postos de trabalho a mais do que abriu no primeiro semestre de 2020. A informação é do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério da Economia, divulgado nesta terça-feira (28). Desempenho é o pior para o período desde 2003.

De janeiro a julho deste ano, a maior cidade do Triângulo Mineiro registrou 44.166 contratações e 48.529 demissões. O saldo negativo foi impulsionado pelo setor de comércio, que fechou 2.614 empregos com carteira assinada, enquanto que a indústria foi o único setor a registrar saldo positivo no período (veja mais abaixo).

Em maio, o G1 mostrou que o Governo Federal havia divulgado pela primeira vez os dados do quadrimestre do município. Nesta nova atualização, os números apresentados nos seis primeiros meses do ano foram reajustados pelo Caged.

Os dados também apontaram que Uberlândia registrou saldo positivo na geração de emprego no mês de junho. Veja abaixo outras informações desde o início do ano e os números por seguimento.

Primeiro semestre

Segundo o Caged, Uberlândia iniciou o ano com saldo positivo de 182 vagas abertas em janeiro. O ritmo de crescimento foi mantido em fevereiro, quando a cidade registrou saldo positivo de 689.

Com a pandemia do novo coronavírus, que foi decretada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) no dia 11 de março, o município teve que adotar restrições nas atividades econômicas, que exigiram o fechamento de grande parte do comércio, por exemplo, entre outras atividades.

Somente em março, quando a restrição de funcionamento dos estabelecimentos devido à Covid-19 começou, Uberlândia fechou 1.109 postos de trabalho, sendo a maioria no setor de serviços. Em abril, o município registrou o pior desempenho do primeiro semestre, fechando o mês com saldo negativo de 3.928.

Já em maio, a cidade perdeu 380 postos de trabalho. E em junho, Uberlândia voltou a registrar saldo positivo na geração de emprego, com 183 vagas abertas.

Nesta segunda tabela (abaixo) é contabilizada a somatória das contratações e demissões ao longo dos seis meses de 2020. Ou seja, os números abaixo demonstram o saldo acumulado até o mês de referência indicado no gráfico.

Setores em Uberlândia

Em junho

Após três meses consecutivos registrando saldo negativo na geração de emprego, em junho, Uberlândia contabilizou saldo positivo de 183 vagas abertas. Os setores de comércio (+129), construção (+160) e indústria (+59) contrataram mais do que demitiram. Já os setores de agropecuária (-72) e serviços (-93) fecharam vagas.

Confira abaixo os números de admissões e desligamentos por setor no mês de junho em Uberlândia:

Setores no mês de junho

Setores Admissões Desligamentos Saldo
Agropecuária 218 290 -72
Comércio 1.425 1.296 129
Construção 785 625 160
Indústria 553 494 59
Serviços 3.145 3.238 -93

No semestre

Já no acumulado dos seis primeiros meses do ano, Uberlândia fechou 4.363 postos de trabalho. O setor de indústria foi o único que registrou saldo positivo, de 396. Os demais registraram saldo negativo, sendo que o pior desempenho ficou com o comércio, com 2.614 demissões a mais do que admissões.

Semestre anteriores

O desempenho da geração de emprego em Uberlândia no primeiro semestre de 2020 foi o pior registrado desde 2003, quando foi iniciado Cadastro Geral de Empregados e Desempregados.

Brasil

De acordo com o Caged, a economia brasileira fechou 1,19 milhão de vagas de trabalho com carteira assinada no primeiro semestre de 2020.

Nos seis primeiros meses do ano, foram registrados 7,9 milhões de desligamentos e 6,7 milhões de novas admissões.

Setores

O setor de serviços foi o que mais fechou vagas no primeiro semestre de 2020: 507.708 no total. Logo depois vem o setor de comércio, com 474.511 vagas a menos. A construção teve 32.092 vagas fechadas.

Já o da agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura foi o único com abertura de novos empregos formais. Foram 62.633 vagas criadas no período.

Para o secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Bianco, os números de junho indicam uma retomada da economia no país.

“Eu posso trazer indícios claros que nós já iniciamos a retomada, que no mercado de trabalho ela é muito forte, e podemos surpreender o mundo, como o nosso ministro [Paulo Guedes] tem dito”, afirmou o secretário.

Deixe um Comentário

Deixe um comentário
Digite seu nome aqui