Minas atualiza registro de mortes por coronavírus para reduzir atraso, diz SES

0
Foto: Reprodução

O registro de óbitos pela Covid-19 em Minas Gerais será agilizado a partir do boletim epidemiológico dessa terça-feira (4), segundo o Secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral. Atualmente, uma morte pela doença leva cerca de 10 dias para ser notificada, em função da demora na troca de informações entre os municípios e o Estado. A partir de agora, a pasta passa a usar o Sistema de Informação de Vigilância Epidemiológica da Gripe (Sivep-Gripe), que é o sistema federal de notificação, e esse atraso deve passar para cerca de três dias.

Como o Sivep-Gripe está à frente do atual método de notificação do Estado, Minas está contando cerca de 100 óbitos a menos, e essa diferença vai refletir no boletim epidemiológico de terça-feira (3). “Essa atualização é importante porque vamos ganhar um tempo nessa notificação. Hoje temos um atraso de 10 dias para a notificação dos óbitos. E com o uso do Sivep-Gripe teremos um atraso de três dias. Então, para nós, isso será uma qualificação dos dados. Estamos acompanhado essas notificações e, de forma geral, o sivep gripe está à frente da gente em torno de 100 óbitos. Então é provável que, de hoje para amanhã, nós venhamos a notificar esses 100 óbitos. Isso vai confirmar essa diminuição de prazo de 10 dias para três dias”, disse o secretário.

Nas últimas 24 horas, Minas Gerais registrou três óbitos, chegando a 2.894 mortes causadas pela Covid-19. Até esta segunda-feira, 133.743 pessoas se infectaram pelo coronavírus, dos quais 102.562 se recuperaram, e 28.287 estão em acompanhamento. Os dados são do informe epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde. Geralmente, às segundas-feiras, o registro de mortes é menor por causa da redução do ritmo de trabalho dos laboratórios nos fins de semana. 

Estabilidade.

De acordo com Carlos Eduardo Amaral, Minas Gerais passa por um momento de estabilidade da pandemia, mas esse platô se mantém em patamares elevados e, por isso, é fundamental que a sociedade siga as medidas de isolamento social e higiene. “Estamos notando que a positividade vem se mantendo próxima de 30 a cada semana há mais de quatro semanas. A solicitação por internações hospitalares está estabilizada. A ocupação de leitos se mantem com tendência estável, e os óbitos não estão com tendência grande ao aumento”, avalia o secretário.
Segundo dados da pasta, a taxa de transmissão no estado está abaixo de 1,05. O considerado ideal pelos especialistas é que esse número esteja abaixo de 1. Já a taxa de isolamento está em 46,7%.

Quanto menor esse índice, mais rápido as atividades econômicas e sociais tendem a retornar. “Não estamos fora de risco, fora de necessidade de manter o isolamento, de manter o distanciamento, então é muito importante a participação individual. Se cada um conseguir manter o isolamento ao máximo, o uso de máscara, a higiene, isso, sim, vai fazer com que a pandemia se mantenha nesses níveis com tendência à queda”, alerta Carlos Eduardo.

Deixe um Comentário

Deixe um comentário
Digite seu nome aqui