Cruzeiro chega a 21 rodadas no Z-4 desde 2019 e 15 vezes ‘na beira do caos’

0

Olhar a tabela de classificação tem sido uma tortura para o torcedor do Cruzeiro desde o ano passado. Para quem sempre se acostumou a brigar entre as cabeças do torneio nacional, a Raposa vem deixando a desejar. Somando as 38 rodadas do Brasileirão da Série A do ano passado às 11 jornadas da B, o time celeste esteve na primeira página – ou seja, do primeiro ao décimo lugar – em apenas duas oportunidades: o sexto lugar na terceira rodada de 2019, e um 10º posto na terceira jornada desta temporada. 

Nessa jornada frequentando a parte inferior da tabela, o time celeste esteve na zona de rebaixamento em 21 de 49 rodadas (38 da A e 11 da B). A maior sequência na posição na zona da degola foi entre a 19ª rodada e a 28ª da Série A do ano passado. Foram ainda 15 jornadas em 16º, posição à beira do precipício. 

O Cruzeiro ingressa na 12ª rodada da Série B, para a partida contra a Ponte Preta, na próxima quarta-feira, às 19h15, ocupando justamente a 17ª posição na tabela. Um inglório Z-4 na divisão inferior nacional que dói, mas é o reflexo de toda uma jornada de diversas mudanças, adaptações e também sucateamento do clube. Fábio completa 40 anos nesta quarta-feira, sendo 16 destes dedicados à Raposa de forma ininterrupta. Com conhecimento de causa, o jogador analisou o momento vivido pelo clube. 

ga data, o time precisa fazer muito mais do que tem feito.  

“A cobrança existe aqui dentro do Cruzeiro, em todos os aspectos […] querendo sempre uma equipe mais forte e consistente para entrar de vez nessa competição, da forma que tem que ser jogada em alto nível, alta competitividade, luta até o final. Porque todas as equipes vem para tentar vencer o Cruzeiro, os atletas se doam e a gente tem que fazer muito mais. Essa é a realidade que estamos enfrentando na Série B, mas estamos nos cobrando muito para que possamos voltar a vencer em uma sequência que vai nos favorecer dentro da tabela e também psicologicamente, nos passando confiança”, concluiu Fábio.     

Deixe um Comentário

Deixe um comentário
Digite seu nome aqui