Duas pessoas são presas em Ipatinga por aplicar golpes para sacar FGTS de outras pessoas

0
Material apreendido com autores em quarto de hotel — Foto: Polícia Militar/Divulgação

Duas pessoas foram presas por estelionato nesta terça-feira (15) em Ipatinga (MG). Segundo a Polícia Militar, eles foram detidos em um hotel no bairro Iguaçu. A dupla realizava golpe para sacar o FGTS de outras pessoas; no momento da prisão foram apreendidos mais de R$ 23 mil com eles.

Ainda de acordo com a PM, informações obtidas pelo GAECO apontavam que um indivíduo estaria hospedado no hotel na posse de documentos falsos e provocando prejuízos a comerciantes.

Diante disso, a Justiça deferiu mandado de busca e apreensão no local, onde foram encontradas as duas pessoas. No bolso de uma delas foi apreendido R$ 2.775 em espécie, já no quarto foi encontrado mais R$ R$ 20.695,90.

Os policiais apreenderam ainda 38 chips de celular da operadora Vivo, entre outros materiais.

Os presos confessaram que conseguiram o dinheiro aplicando golpes para sacar FGTS de outras pessoas.

Golpe

Os autores contaram que pagaram R$ 1.000 para um terceiro indivíduo que conheceram pela internet, e este liberou dez números de CPF de pessoas que tinham direito a sacar R$ 1.045 liberados pelo governo federal.

Em seguida, eles conseguiam demais dados dessas pessoas por meio de site na internet e utilizavam essas informações para solicitar o saque do FGTS em aplicativo da Caixa Econômica.

O aplicativo pedia uma contrassenha, que era enviada para o número de celular cadastrado pelos autores. Feito o procedimento, o aplicativo liberava um código, com o qual era possível ir à uma agência bancária e sacar o FGTS das vítimas.

Cada chip de celular era utilizado para fazer o cadastro e solicitação de saque de uma única vítima, depois o chip era descartado.

Prejuízo

Conforme a PM, a dupla estava hospedada no hotel desde o dia 10 deste mês. Ao longo dos últimos dias, os autores fizeram compras de bebidas, roupas e celulares caros e ainda frequentaram restaurantes.

Por isso, estima-se que o prejuízo causado pela dupla seja muito maior ao valor apreendido durante a prisão.

Os presos foram encaminhados para a sede da Polícia Federal em Governador Valadares junto ao material apreendido. Em seguida, foram conduzidos para o presídio de Tarumirim.

Deixe um Comentário

Deixe um comentário
Digite seu nome aqui