Homem que matou filho em videochamada com a ex afiou faca para o crime

0
Pai da criança morta à facadas está sob escolta policial no Hospital Regional de Betim; ele matou filho por não conformar com fim de relacionamento com a mãe de Kelvin

 

O assassinato da criança de 3 anos a facadas pelo pai, que transmitiu o crime em videochamada para a mãe da criança, não é comentado pelos vizinhos e muito menos pelos familiares do suspeito. O homem, de 24 anos, teve a frieza de amolar a faca caseira antes de cometer o homicídio e tentar se matar. 

Conforme boletim de ocorrência, ele assassinou o filho porque não aceitava o fim do relacionamento com a mãe do garoto, que mora no bairro Jardim das Alterosas, na mesma cidade.

Uma amiga da família do suspeito, que sob anonimato aceitou falar com a reportagem, contou que, momentos antes do crime, o homem foi à cozinha e amolou a faca usada para cometer a crueldade. 

Consta na ocorrência policial que, por volta das 9 h da noite do domingo (6), o pai da criança entrou em contato com a ex-mulher, mãe do garoto, pedindo para reatar o relacionamento com ela. Depois de ter o pedido negado, o homem demonstrou estar muito nervoso e chegou a ameaçar a ex-companheira pelo telefone.

Ciente da situação e com medo do neto ser agredido pelo homem, a avó paterna tentou pegar o garoto do colo do pai. Porém, ele não permitiu. Momentos depois, o suspeito foi para um quarto dormir com a criança, traz o boletim de ocorrência.

“Quando foi por volta das 3h da madrugada, ele (o pai da criança) pegou a faca na cozinha, afiou e fez chamada de vídeo para a ex, aos gritos. A avó escutou os gritos dele, foi para o quarto e viu a criança toda ensanguentada, e ele dando várias facadas no próprio abdômen”, relatou uma amiga da família do suspeito, que preferiu não se identificar. 

Segundo essa amiga da família paterna, a avó da criança tinha ligado para a mãe da vítima na noite do domingo (6) pedindo para ela não ir buscar a criança, já que o suspeito estava transtornado. O homem era usuário de drogas e álcool e parecia estar sob efeito de entorpecentes no dia do crime, segundo contou a mãe do suspeito para a amiga. A mulher também relatou o estado do filho nos autos policiais.

Avó chamou pela polícia

O crime aconteceu, na casa da avó paterna da criança. Segundo o boletim, foi ela mesma quem acionou a polícia pelo 190 pedindo para socorrer o neto e para o filho.

“Quando chegamos ao local, de imediato atendemos a vítima (a criança), para tentar salvá-la tendo em vista que ela estava desacordada e muito ferida. Chamamos o Samu, colocamos a criança no carro e seguimos para o hospital. Encontramos com a ambulância pouco tempo depois, no caminho para o hospital, perto da linha de trem na região do Vianópolis. Eles (o Samu) acabaram de prestar os socorros, mas, a criança faleceu antes de chegar ao hospital.O autor também foi socorrido, visto que tentou tirar a própria vida. Neste momento ele (o pai) está no hospital escoltado pela PM”, explica o tenente Guilherme Rodrigues, do 33º Batalhão da PM, em Betim.

De acordo com informações do Samu de Betim, a criança foi atendida com várias perfurações no peito, costas, braços e axilas. A morte do garoto foi constatada na própria ambulância à caminho do Hospital Regional de Betim. Pouco depois das 13h da segunda-feira, 7, o corpo da criança havia sido liberado pelo Instituto Médico Legal de Betim.

Ainda segundo informações do Samu Betim, o pai foi atendido com perfurações no abdômen e arranhões no peito. Ele está internado no Hospital Regional de Betim, no bairro Espírito Santo. A unidade não passou informações sobre o quadro clínico do suspeito, porém, fontes ligadas à família dele, informaram que a presença do suspeito no hospital causou tumulto no local. Por isso, ele precisou ser transferido para outra ala do hospital. Também segundo essa fonte, o suspeito estava com sintomas gripais e foi encaminhado para a área reservada aos tratamentos de Covid-19.

“Ele pode responder pela ameaça, já que há indícios que ele ameaçou a mãe da criança antes do ato delitivo e vai responder também por homicídio qualificado. O flagrante foi dado e ele está na condição de preso.”, explicou o tenente Rodrigues, da PM.

Depois de alta hospitalar, o suspeito será encaminhado para o Departamento de Homicídios da Polícia Civil, em Betim, conforme informações da PC.

Crianças estavam na casa

Na hora do crime, outras três crianças estavam na casa, duas delas gêmeas de 9 anos e um garoto de 3 anos. Também estava no local uma adolescente de 14 anos. Todos são irmãos maternos do suspeito e tios da vítima. O padrasto do homem também mora lá e a família dormia no momento das facadas. Eles foram acordados com os gritos do suspeito e da avó da criança morta.

Deixe um Comentário

Deixe um comentário
Digite seu nome aqui