Integrante de torcida organizada do Cruzeiro morre após ser baleado em Sabará

0
Tiros foram disparados na altura do número 82 na rua Tiradentes, no bairro Itacolomi, em Sabará

Um rapaz de apenas 22 anos morreu na noite dessa segunda-feira (7) após ser atingido por quatro disparos de arma de fogo no bairro Itacolomi em Sabará, na região metropolitana de Belo Horizonte. Francis Albert Gonçalves era integrante de uma torcida organizada do Cruzeiro, e pouco antes de ser executado tinha sido denunciado à polícia por supostamente ter danificado o carro de um morador da rua Tiradentes, membro de outra organizada.

A Polícia Militar (PM) não confirma que tenha ocorrido briga entre torcidas antes do homicídio. De acordo com os militares, consta apenas no boletim de ocorrência que o rapaz morto e o homem que o denunciou por danificar seu carro eram membros de organizadas – o documento também não pontua quais eram as torcidas.

Organizada mais conhecida do Cruzeiro, a Máfia Azul usou as redes sociais na manhã desta terça-feira (8) para homenagear o rapaz assassinado no bairro Itacolomi. Autores da postagem escreveram: “um guerreiro que partiu para o outro lado, nos deixando na saudade (sic). Que Deus conforte os corações dos familiares e amigos, que possa livrar (sic) de pensamentos incômodos que aparecem nos momentos ruins”.

Denúncia

Era noite de segunda-feira (7) quando a Polícia Militar recebeu um primeiro chamado para a rua Tiradentes no bairro Itacolomi. Logo que chegaram os militares foram procurados por uma mulher que denunciava Francis Albert Gonçalves por ter quebrado os vidros do carro de seu marido. Enquanto a ocorrência de dano era registrada, o rapaz parou na porta da residência para xingar a mulher – apesar da presença da polícia.

Alguns minutos depois, militares receberam a informação de que havia um homem baleado na rua em que era registrada a ocorrência. A vítima em questão era Francis, atingido por quatro disparos de arma de fogo a apenas alguns metros de distância do carro cujos vidros haviam sido danificados. Apesar de uma ambulância do SAMU ter sido acionada, ele não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

A perícia técnica da Polícia Civil compareceu ao endereço e constatou que os disparos feitos eram de calibre .380. O proprietário do carro cujos vidros supostamente teriam sido quebrados pela vítima compareceu espontaneamente à sede da companhia da Polícia Militar em Sabará e negou ter participado do assassinato. A ocorrência será investigada.

Deixe um Comentário

Deixe um comentário
Digite seu nome aqui