Justiça decide que Bruno terá que usar tornozeleira eletrônica até em jogos

0
Goleiro Bruno foi condenado há mais de 22 anos pela morte de Elisa Samudio

Recém-contratado pelo Rio Branco, do Acre, o goleiro Bruno terá que usar tornozeleira eletrônica de forma ininterrupta enquanto cumpre pena em regime semiaberto no estado. A decisão foi do juiz Hugo Torquato, da Vara de Execuções Penais, após pedido do Ministério Público do Acre. A determinação considera o fato de reeducados em regime aberto no estado terem que usar o equipamento.

“Os reeducandos no regime semiaberto no Acre usam tornozeleira eletrônica. Outros estados não sei, alguns usam e outros não, mas aí vai de cada estado. No Acre usa. Não poderia ser diferente dele, porque ele não é melhor que ninguém, não é porque ele é famoso que não vai colocar”, disse o promotor de justiça Tales Fonseca Tranin, da 4ª Promotoria Criminal de Execução Penal.

Bruno foi preso em 2010 pela morte de Eliza Samudio, mãe de um dos seus filhos. Três anos depois, foi condenado a 22 anos e três meses de prisão pelo assassinato e ocultação de cadáver de Eliza, e também pelo sequestro e cárcere privado do filho Bruninho. O corpo de Eliza nunca foi encontrado, sendo que as buscas foram encerradas em 2014.

A determinação da Justiça pode ser analisada caso a defesa do jogador comprove que não há como o goleiro usar a tornozeleira. Bruno já está atuando pelo Rio Branco e esteve em campo, inclusive, no último fim de semana, pelo Campeonato Acreano.

Deixe um Comentário

Deixe um comentário
Digite seu nome aqui