Polícia Civil apreende 150 kg de substância utilizada na produção de cocaína em Juiz de Fora

0
Polícia Civil apreende 150kg de substância utilizada na produção de cocaína durante ação em Juiz de Fora — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Um jovem, de 23 anos, foi preso e o enteado dele, um adolescente de 17 anos, foi detido por tráfico de drogas durante operação no Bairro Ipiranga e região, em Juiz de Fora. Na casa deles a Polícia Civil apreendeu cerca de 150 kg de uma substância utilizada na produção de cocaína, além de porção e pedra de cocaína. Ainda foram encontrados no local frascos de lança-perfume.

A ação da Delegacia Especializa Antidrogas foi realizada entre esta quarta-feira (9) e a madrugada desta quinta (10), com o objetivo de combater o tráfico de drogas na região. Os trabalhos foram iniciados após uma troca de informações entre as Agências de Inteligência do 4º Departamento de Polícia Civil em Juiz de Fora e do Departamento Estadual de Combate ao Narcotráfico (Denarc).

De acordo com informações da Polícia, as investigações apontaram que o adolescente recebia uma carga de substâncias ilícitas para reposição e comercialização, e que a família dele também estava envolvida na prática ilegal.

“Na cabeceira da cama do padrasto do menor, a cocaína foi apreendida. Além disso, em uma cômoda, também localizamos a pedra da mesma droga, conhecida como ‘Escama de Peixe’”, explicou o delegado Rafael Gomes.

“Encontramos o restante da droga em diversas caixas de papelão, contendo sacos de uma substância branca, que seria utilizada para a mistura de cocaína. Isso indica que eles armazenavam esse material para um possível laboratório”, afirmou Gomes.

Além disso, durante as buscas também foram encontrados 10 frascos de lança-perfume, dois celulares e uma quantia não especificada em dinheiro. As apurações da Polícia Civil indicam que o grupo teria adquirido quase R$ 300 mil na venda da droga apenas em 2020.

O jovem foi encaminhado ao sistema prisional, enquanto o adolescente foi entregue ao responsável legal após comparecer à unidade policial, conforme disposto no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Segundo a Polícia, as investigações seguem em andamento.

Deixe um Comentário

Deixe um comentário
Digite seu nome aqui