Moradores montam ponto de apoio para bombeiros que combatem incêndio no Castelo

0
Moradores ajudam quem trabalha no combate às chamas

O trabalho intenso feito pelos militares do Corpo de Bombeiros no parque municipal Ursulina de Andrade Mello, no bairro Castelo, na região da Pampulha, em Belo Horizonte, tem despertado a gratidão da vizinhança. Sensibilizados pelo desempenho dos agentes, que se revezam há três dias no combate às chamas no local, os moradores montaram um ponto de apoio na portaria de um dos prédios da rua Castelo de São Jorge para oferecer alimentos, água e banheiro aos brigadistas.

“É o mínimo que a gente pode fazer. Vamos continuar aqui até que o trabalho seja concluído”, disse a oficiala de justiça Mônica Maia, 54. A equipe formada por militares e brigadistas que atuam no últimos focos do incêndio, nesta quarta-feira (7), foram recepcionados com uma mesa repleta de frutas e café recém coado.

“A gente se sente agradecido e honrado por esse carinho da sociedade. É um serviço muito cansativo e receber esse apoio faz a gente ter um ânimo a mais para continuar. É quase inexplicável, a cada agradecimento a gente se sente fortalecido”, relatou o sargento Wanderson Alcântara Soares. Ele está há 27 anos na corporação. “Mesmo com tanto tempo de trabalho, me surpreendo com atitudes assim”, completou.

A ação solidária começou logo que o incêndio começou a destruir a mata de 312 mil metros quadrados, que conta com seis nascentes, além de um lago artificial.

“Os moradores do bairro fizeram uma vaquinha e compramos água, isotônicos e, a todo momento alguém vem deixar alguma coisa”, comentou a advogada Luciana Bueno, de 32.

Exemplo para os pequenos

O combate ao incêndio que destruiu parte da natureza do bairro Castelo também chamou a atenção das crianças. Muitas, vendo o trabalho heróico dos militares, resolveram agradecer o trabalho com desenhos, cartas e palavras de carinho.

“É muito bom ser essa referência para as crianças. A gente tem passado por tanta coisa, tem a pandemia, muitas queimadas pelo Brasil, fazer algo que ajuda a população e inspira, não tem preço”, afirmou o sargento Wanderson Alcântara Soares.

Empenho

O fogo começou a dar trégua apenas no terceiro dia de trabalho. Cerca de 25 bombeiros se revezam no combate desde a última segunda-feira (5), quando as chamas começaram.

“Cerca de 30% da área total do parque foi queimada, o equivalente a 100 mil metros quadrados ou 10 hectares. Nesta manhã, foi feita uma varredura na área, e não foram localizados pontos com chamas. Os trabalhos hoje vão ficar por conta de monitoramento esses pontos”, explicou o tenente da corporação Felipe Nunes.

Deixe um Comentário

Deixe um comentário
Digite seu nome aqui