Policial é chamado de ‘macaco de distintivo’ dentro de delegacia

0
Investigador de polícia sofreu injúria racial em Praia Grande, no litoral paulista — Foto: Reprodução/Polícia Civil

Um investigador da Polícia Civil de 51 anos foi agredido e xingado de ‘macaco de distintivo’ durante um ataque racista na delegacia de Praia Grande, no litoral paulista, por um homem de 21 anos. Segundo apurado pelo G1 nesta quinta-feira (8), o suspeito estava alterado e passou a quebrar objetos e móveis na casa da avó. A idosa solicitou apoio da Polícia Militar e o rapaz foi preso por desacato, resistência e injúria.

O caso aconteceu após policiais serem acionados para atender ocorrência de desentendimento na rua Venezuela, no bairro Guilhermina. Segundo o boletim de ocorrência, a avó do indiciado teria chamado reforço após ele ficar alterado e começar a quebrar objetos e jogar coisas dentro de casa. A idosa alegou que o neto tem problemas psicológicos e faz uso de drogas.

Ela precisou sair da residência para ligar pedindo reforço dos policiais, que ao chegarem encontraram o suspeito na calçada, com uma televisão nos braços que ele quebrou em seguida. O rapaz já tinha utilizado drogas e, agressivo, passou a desacatar os policiais.

De acordo com os profissionais, ele os chamou de corruptos, disse outros xingamentos e ainda os desafiou, pedindo para tirarem a farda e enfrentá-lo. Foi dada voz de prisão por desacato, e enquanto eles tentavam algemá-lo, ele tentou dar um soco em um policial, mas não acertou.

 

Ainda alterado, o indiciado passou pelo hospital onde foi medicado, mas ao chegar na delegacia continuava agressivo e começou ataques racistas contra um Policial Civil negro. Ele se voltou contra o investigador, o xingando de “policialzinho de merd*”, “macaco de distintivo” e ainda chutou o profissional. A reportagem procurou a vítima, que preferiu não dar depoimento sobre o caso.

Além dos xingamentos para o policial, ele ofendeu os profissionais, falando que “os policiais eram tudo cuzã*” e ainda ficou incomodado alegando que “não havia cometido crime” e que “os policiais eram comédias”. O homem foi preso e o caso foi registrado na Delegacia Sede de Praia Grande como desacato, resistência e injúria.

Injúria

De acordo com o artigo 140, parágrafo 3º do Código Penal, injúria racial consiste na utilização de termos que ofendam a dignidade ou decoro utilizando palavras referentes a raça e cor com a intenção de ofender a vítima. Para o crime de injúria é possível reclusão de um a três anos e multa.

Caso foi registrado na Delegacia Sede Praia Grande, SP — Foto: Rafaella Mendes/G1

Deixe um Comentário

Deixe um comentário
Digite seu nome aqui