Atendimento presencial a crianças com necessidades especiais é autorizado em Arcos

0

O atendimento individual e presencial das crianças com necessidades especiais, atendidas pela Rede Municipal de Ensino, foi autorizado, em Arcos. A autorização, em caráter extraordinário, foi publicada nesta quinta-feira no Diário Oficial dos Municípios Mineiro. Segundo a Secretaria Municipal de Educação, as aulas devem ser retomadas a partir do dia 20 de novembro.

Na próxima semana, a secretaria de Educação organizará a estrutura, para atendimento aos protocolos de prevenção à Covid-19 e pedagogicamente para receber os alunos. Segundo o texto do decreto, no entanto, ficam suspensas, sem previsão de retorno, as aulas presenciais nas escolas públicas municipais, estaduais e particulares.

Atendimento

A norma prevê que para o atendimento ser realizado, devem ser seguidos todos os protocolos de prevenção à Covid-19 e ser autorizado de forma escrita pelos pais e mediante liberação médica. As crianças serão atendidas pelos professores do Atendimento Educacional Especializado (AEE) e psicólogas.

De acordo com o secretário de Educação de Arcos, Halph Carvalho de Oliveira, a decisão faz parte de um pedido feito pelas famílias das crianças com necessidades especiais que pode ser atendido depois que Arcos evoluiu para a Onda Verde do programa Minas Consciente.

“Recebemos as reivindicações das famílias durante toda a pandemia para que as crianças tivessem atendimento presencial. E agora com a Onda Verde, em conversa com a promotoria da Infância e da Juventude, resolvemos atender, de forma individual, as crianças com necessidades especiais”, afirmou.

“Durante toda a pandemia, nós oferecemos o atendimento remoto, por chamada de vídeo, mas com o passar dos meses as crianças já não estavam mais conseguindo concentrar nas chamadas de vídeo, por isso o desejo das famílias de que o atendimento presencial voltasse mais rápido”, completou.

O secretário explicou que o decreto tem caráter de autorização e o atendimento estará a disposição das famílias. No entanto, elas poderão escolher entre o atendimento presencial e o remoto.

“Nossa intenção é minimizar os prejuízos de aprendizagem dessas crianças, e muitos deles não conseguem atenção nas aulas on-line. Por ocasião do déficit de atenção, muitas habilidades são difíceis de trabalhar a distância”, concluiu.

Deixe um Comentário

Deixe um comentário
Digite seu nome aqui