Candidatos a vereador brigam em Uberaba durante carreata: ‘Ele ia me matar’

0
Moto foi jogada no chão e caixa de som danificada |

Dois candidatos a vereador de Uberaba, no Triângulo Mineiro, do mesmo partido, protagonizaram uma cena de pancadaria no meio da rua na noite dessa quarta-feira (4) durante uma carreata. Isso por causa de uma caixa som – um dos envolvidos chegou a ficar desacordado e precisou ser levado ao hospital.

Segundo informações, acontecia o evento pelas vias da cidade organizado pela coligação “Oposição de Verdade”, encabeçada pelo candidato a prefeito Thiago Mariscal (PSC). Nela, participavam os postulantes a parlamentar do município Clodoaldo Cabral (PSC), que estava em uma caminhonete, e Guilherme Boca Aberta (PSC), que pilotava uma moto com uma caixa de som.

Em um dado momento, na rua Elenice Beatriz Prado Souza, no bairro Residencial Rio de Janeiro, Clodoaldo teria se irritado com a altura do volume do jingle de Boca Aberta, que trafegava com a moto entre os carros. Os dois começaram a discutir, quando o primeiro desceu do veículo e foi agredir o colega de legenda, derrubando sua moto no chão.

“Eu estava fazendo a minha campanha com a minha motinha de som. Fui para a carreata tocando minha musiquinha, assim como todos os outros. Como a minha moto ficava indo e voltando, e ele nem som tem, ele ficou irritado, dizendo que estava atrapalhando”, disse Boca Aberta a O TEMPO.

“Ele desceu da caminhonete e me deu uns três socos, só que como eu estava de capacete, não me atingiu direito, só me arranhou. Então, ele me agarrou pelo pescoço e me deu uma gravata. Nisso, eu comecei a dar socos nele, mas eu desmaiei. Ele só parou quando algumas pessoas bateram nele, principalmente nas costelas. Se não fosse isso, ele ia me matar”, contou.

Após isso, a Polícia Militar e o Samu foram acionados, o qual socorreu Guilherme e o levou à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) São Benedito, também em Uberaba. No local, a vítima passou por exames, foi medicada e posteriormente liberada, pois apresentou apenas escoriações.

Conforme consta no boletim de ocorrência, o agressor fugiu do local, não sendo mais localizado. No entanto, ele deixou seu celular cair no chão, o qual ficou danificado e foi recolhido por policiais.

Boca Aberta lamentou o ocorrido, pois prejudica sua campanha que, segundo ele, está sendo feita com bastante esforço. “É difícil, porque a situação financeira não ajuda. Meu cunhado me emprestou a caixa de som, minha cunhada me emprestou a moto, porque a minha não é muito boa, e minha amiga fez o jingle pra mim. Tentamos fazer com criatividade, pelo menos”, contou.

Outro lado

A reportagem tentou entrar em contato com o candidato Clodoaldo Cabral, envolvido na confusão, porém, sem sucesso. Em suas redes sociais, ele, que é motorista de veículo de carga, disse que “não tem nada mais irritante do que escutar várias mentiras e ter que ficar calado”.

Já o candidato a prefeito Mariscal se pronunciou sobre o caso. “A realidade é que teve um desentendimento, ninguém queria que tivesse acontecido, mas aconteceu. Em momento nenhum a gente queria parar a carreata. Pessoas estavam esperando eu, como outros candidatos. Todo dia tem um obstáculo, mas nós encaramos de cabeça erguida”, explicou em vídeo ao lado de Boca Aberta.

A coligação enviou uma nota à imprensa. “Acreditamos que este mal entendido deve ser apaziguado entre as partes, no sentido de preservar o verdadeiro sentido da campanha eleitoral, que é o pleno exercício da democracia”, diz o texto. Leia na íntegra:

“A Coligação ‘Oposição de Verdade’ vem a público informar que houve um desentendimento entre dois candidatos a vereador que interrompeu a carreata realizada na noite desta quarta-feira no bairro Rio de Janeiro.

A discussão foi controlada por apoiadores da campanha eleitoral, com a tomada de todas providencias necessárias para garantir a segurança de todos presentes.

No intuito de assegurar os primeiros socorros aos envolvidos, o Samu foi acionado.

O candidato a prefeito, Thiago Mariscal e o vice, Kaká Carneiro, estiveram na UPA São Benedito, para acompanhar o atendimento a um dos envolvidos. Não houve nenhuma intercorrência médica e, o paciente passa bem.

A ‘Oposição de verdade’ repudia veementemente qualquer tipo de violência e, defende de forma incondicional um clima de harmonia e paz entre todos os integrantes.

Neste sentido, acreditamos que este mal entendido deve ser apaziguado entre as partes, no sentido de preservar o verdadeiro sentido da campanha eleitoral, que é o pleno exercício da democracia”

Deixe um Comentário

Deixe um comentário
Digite seu nome aqui