Mais 34 moradores vão ser retirados de casa por risco em barragem da Vale em Barão de Cocais

0
Centro da cidade de Barão de Cocais, MG — Foto: Flávia Cristini/TV Globo

A Vale anunciou, nesta quarta-feira (18), que vai começar a retirar aproximadamente 34 moradores da Zona de Autossalvamento referente à estrutura da barragem Norte/Laranjeiras, da mina de Brucutu, no município de Barão de Cocais, na Região Central, de Minas Gerais.

Ainda não há data definida para a retirada das pessoas, mas a Defesa Civil disse que provavelmente será no início da próxima semana.

A mineradora informou que a ação é feita de forma preventiva, do protocolo de emergência em Nível 2 da barragem, que é referente ao Plano de Ação de Emergência de Barragens de Mineração (PAEBM).

A Vale ainda explicou que “adota essa medida em linha com o acompanhamento das condições de segurança de suas estruturas e mantém campanha de investigação geotécnica com o objetivo de definir as ações para o contínuo aprimoramento destas. A elevação do nível de emergência reflete uma abordagem conservadora da companhia, embora não tenham sido observadas alterações relevantes quanto aos fatores de segurança da estrutura”.

De acordo com a empresa, a barragem Norte/Laranjeiras não recebe rejeitos e, por isso, desde dezembro de 2019, não faz parte do seu plano de produção de minério de ferro.

A retirada vai ter participação da Defesa Civil estadual de Minas Gerais. Segundo o tenente-coronel Flávio Godinho, coordenador-adjunto do órgão, equipes vão na próxima sexta-feira (20) até a cidade para tratar dos protocolos de retiradas das famílias.

“Já sabemos que são aproximadamente 34 pessoas e 790 animais. O trabalho agora é validar todos os planos para começar fazer a evacuação de forma planejada, porque a barragem está em nível 2 e conseguimos ter um planejamento melhor para as famílias”, disse.

Godinho ainda falou que, durante a pandemia da Covid-19, é “complicado” colocar as pessoas para morar em hotéis. “Estamos preferindo que a Vale forneça casas e que as famílias escolham os imóveis para onde serão levadas”.

Fora de casa há 1 ano e 9 meses

Outros 156 moradores das comunidades de Socorro, Tabuleiro, Piteiras e Vila do Gongo estão fora de casa, desde fevereiro de 2019, vivendo em moradias provisórias, por causa do risco de rompimento da Barragem Sul Superior da mina Gongo Soco que está em nível 3 de emergência.

Em setembro desde ano, cerca de 50 deles voltaram, mesmo sem autorização, para as casas que ficam na zona de autossalvamento. A Polícia Militar chegou a ser acionada e retirou as pessoas do local.

Deixe um Comentário

Deixe um comentário
Digite seu nome aqui