Empresário é preso em Governador Valadares, após desafia decreto de enfrentamento à Covid-19

0
Restaurante foi alvo de fiscalização na noite de sábado, após descumprimento de decreto municipal — Foto: Redes Sociais

Via G1 Vales de Minas Gerais 

O dono de um restaurante foi preso na noite deste domingo (15) por desrespeitar o decreto municipal de enfrentamento a Covid-19 em Governador Valadares (MG).

O estabelecimento já havia sido interditado pela Vigilância Sanitária na noite de sábado (13) por descumprir as normas municipais, mas o proprietário ignorou a medida e voltou a abrir o espaço neste domingo, sendo então preso.

O decreto 11.360, publicado na última sexta-feira (12) após a cidade atingir a ocupação de 100% dos leitos de UTI para a Covid-19, determina que estabelecimentos como bares e restaurantes devem fechar às 20h para o atendimento ao público. Após esse horário, o local pode continuar a funcionar, desde que seja por meio de entrega dos produtos.

No sábado, o primeiro dia do decreto, o empresário postou nas redes sociais que o restaurante permaneceria aberto. “Estaremos funcionando em horário normal! Ninguém vai nos impedir de trabalhar e levar o sustento para nossas famílias!”, dizia a publicação, que foi apagada posteriormente.

A Vigilância Sanitária e equipe de fiscais de posturas do município, com o apoio da Polícia Militar, chegaram ao local e conversaram com o empresário, que afirmou que não fecharia o restaurante por não concordar com o decreto, pois vários funcionários dependem do emprego e também por possuir produtos perecíveis no local.

“Um ano depois não tem leito e vocês vêm falar que a culpa é nossa? Que não tem leito? O que eu tenho a ver se tem 30 pessoas morrendo? Eles aqui são clientes, têm liberdade de vir. Vocês estão querendo me tirar um direito fundamental”, afirmou o empresário.

De acordo com a Prefeitura de Governador Valadares, na mesma noite o local foi interditado pela Vigilância Sanitária.

Porém, no domingo o dono do restaurante ignorou a interdição e voltou a abrir o estabelecimento, novamente desrespeitando o horário de 20h para encerrar o atendimento presencial ao público

Outros comerciantes foram até o local para apoiar a ação do empresário, que acabou preso por desobedecer a interdição cautelar e foi liberado após assinar um Termo Circunstanciado de Ocorrência.

O que diz o empresário

Procurado pela Inter TV dos Vales, o empresário Rafael Chagas se posicionou a respeito do não-cumprimento do decreto municipal. Ele afirmou que a ação foi de revolta e indignação devido à forma desigual de tratamento dos estabelecimentos comerciais.

 

“É uma medida que não tinha nenhuma lógica, você permitir que durante o dia tudo funcione normalmente, ônibus lotado, banco lotado, mercado municipal e supermercados lotados e a partir das 20h fecha, um horário que praticamente não dá pra bar e restaurante funcionar, né? Porque o cara abre 18h30, 19h, e a Vigilância [Sanitária] exige que às 20h não tenha ninguém nas mesas. Minha atitude foi de indignação, principalmente quando fiquei sabendo que num dia soltam um decreto e no outro dia solta outro liberando as igrejas”, afirmou por telefone.

Além disso, Rafael Chagas disse que o funcionamento apenas por meio de entregas ajuda, mas não dá conta de todas as despesas do restaurante e impacta diretamente no salário dos sete garçons que trabalham no local e contam com o pagamento de 10% do serviço que é incluso na conta dos clientes.

“Ou seja, o garçom, pai de família, que precisa levar renda pra casa, ele tá impedido. E as igrejas, onde tem muito mais aglomeração e muito mais chances de contato, tá liberado. Qual é o senso da medida? A minha indignação é de revolta pela não-coerência total da medida. Os caras tiveram um ano pra preparar os hospitais, achatar a tal da curva, veio eleição, veio final de ano e agora a culpa é dos comerciantes da noite? Quer dizer, vai escolher quem pode trabalhar e que não pode. Se fechasse 100%, voltasse à estaca zero, eu ia aderir na mesma hora, porque é uma medida justa, mas escolher quem vai quebrar e quem não vai, isso não faz sentido”, destacou.

Rafael informou ainda que está impedido de entrar no próprio restaurante, mas que nesta segunda-feira (15) irá à Vigilância Sanitária discutir a questão.

Covid-19 em Governador Valadares

De acordo com boletim epidemiológico publicado no sábado (13), Governador Valadares possui  17.151 casos confirmados  de Covid-19. A doença já provocou  622 mortes na cidade e outros 44 óbitos estão em investigação.

 

A ocupação dos leitos de UTI Covid-19 no SUS atingiu 100% da capacidade na última semana. Já na rede particular, os leitos de UTI estão esgotados há mais de um mês.

Deixe um Comentário

Deixe um comentário
Digite seu nome aqui