Morte de psicóloga encontrada dentro de porta-malas de carro em Pouso Alegre; segue sem respostas um mês depois

0
Psicóloga encontrada morta no porta-malas de veículo dentro da própria casa em MG é enterrada em Bauru (SP) — Foto: Arquivo pessoal

Via G1 Sul de Minas 

Um mês após uma psicóloga ter sido encontrada morta e amarrada dentro do porta-malas de um carro, o caso segue sem respostas. A Polícia Civil informou que aguarda o resultado de exames toxicológicos e da perícia, feitos no IML em Belo Horizonte (MG).

Segundo a polícia, o prazo para o resultado destes exames costuma ser de 30 dias, mas pode ser estendido de acordo com o andamento do trabalho da Polícia Forense.

A Polícia Civil também afirmou que até o momento não é possível falar em homicídio e que tudo o que o marido da vítima disse em depoimento foi comprovado.

Relembre o caso

O corpo de Marilda Matias Ferreira dos Santos, de 37 anos, foi encontrado, na manhã do dia 22 de agosto, dentro do porta-malas do carro dela, no bairro Fátima II, em Pouso Alegre (MG). A psicóloga foi encontrada pelo marido dentro da garagem da própria casa.

A casa em que a psicóloga morava não possuía sinais de arrombamento, segundo um perito da Polícia Civil. Ela foi encontrada com os pés e as mãos amarradas, de roupa e capacete de ciclista, mas sem sinais de violência, conforme a Polícia Civil.

O corpo da psicóloga foi enterrado em Bauru (SP), sua cidade natal e onde mora a família.

Depoimentos

Psicóloga é encontrada morta dentro de porta-malas de carro na garagem da própria casa, em Pouso Alegre, MG — Foto: Polícia Civil

Um inquérito foi aberto para investigar o caso. Ainda conforme a polícia, em depoimento, o marido disse que estava trabalhando no sábado (21 de agosto), em uma fazenda que fica em Careaçu, quando recebeu a mensagem da esposa dizendo que faria um passeio de bicicleta. Mais tarde, ao chegar em casa, por volta de 16h, ele não encontrou a esposa e achou que ela ainda não teria chegado do passeio de bicicleta.

Horas depois, como a mulher não havia aparecido, o marido disse que passou a procurá-la no hospital e na delegacia. Na manhã de domingo, ao resolver procurar dentro do carro, encontrou a esposa no porta-malas e chamou a polícia. O marido foi ouvido e liberado. O celular dele foi entregue para a polícia.

“A vítima foi localizada sem nenhum sinal de violência, nenhum sinal de arranhão, nenhum sinal de injeção ou qualquer coisa do tipo. A Polícia Civil, hoje, trabalha com todas as hipóteses, então nós não podemos falar em crime de homicídio, não podemos falar em suicídio, até a conclusão da investigação”, disse o delegado.

Deixe um Comentário

Deixe um comentário
Digite seu nome aqui