BNDES anuncia seu maior lucro trimestral da história: R$ 12,9 bilhões

0

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) divulgou na tarde desta quinta-feira (12/5) seu resultado financeiro para o primeiro trimestre de 2022: R$ 12,9 bilhões. O número representa o maior lucro trimestral da história da instituição, que está completando 70 anos.

Houve crescimento de 32% em relação ao primeiro trimestre de 2021. Na comparação com o último trimestre do ano passado, o lucro subiu 68%.

O presidente do BNDES, Gustavo Montezano, disse que os resultados da instituição “continuam robustos” e valorizou novas estratégias de ação nas quais o banco tem apostado, como a economia verde.

A avaliação, porém, é de que investimentos em empresas tradicionais garantiram o resultado financeiro positivo.

O diretor de finanças do banco estatal, Lourenço Tigre, explicou que o lucro recorde foi “impulsionado em larga medida” por uma “reclassificação contábil da nossa participação na JBS”, que rendeu R$ 5,8 bilhões.  Já os dividendos da Petrobras totalizaram R$ 3 bilhões, e a venda de parte das ações da JBS que o BNDES possui, mais R$ 700 milhões.

Montezano comentou o lucro argumentando também que ele é resultado de uma “mudança de rumo” da instituição, que quer se desfazer de participações acionárias nessas empresas tradicionais. “Do lucro total, cerca de R$ 8,5 bilhões estão relacionados ao mercado de ações e entendemos que não devemos mais fazer negócios apenas para ganhar, investir em ações especulativas de empresas maduras”.

Devoluções ao Tesouro

O BNDES informou ainda que devolveu ao Tesouro Nacional R$ 2,7 bilhões e que tem, em caixa, R$ 143,2 bilhões, um aumento de 12,1% em relação ao saldo de 31 de dezembro de 2021.

O banco deve ao governo, seu principal financiador, R$ 122,5 bilhões.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

O post BNDES anuncia seu maior lucro trimestral da história: R$ 12,9 bilhões apareceu primeiro em Metrópoles.