Senado aprova indicado ao STM que chamou ditadura de “clamor popular”

0

O plenário do Senado Federal aprovou, nesta quarta-feira (11/5), a indicação do general do Exército Lourival Carvalho Silva (foto em destaque) para a cadeira de ministro do Superior Tribunal Militar (STM). O militar ocupará o cargo vago com a recente transferência para inatividade do ministro Luis Carlos Gomes Mattos, que deixará o posto em 28 de julho deste ano.

A indicação de Silva havia sido aprovada mais cedo na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). O relator é o senador Jaques Wagner (PT-BA), ministro da Defesa no governo da petista Dilma Roussef.

O nome do general é considerado polêmico em razão de declarações recentes. Em evento comemorativo do Exército, em 2019, o agora futuro ministro do STM afirmou que o golpe militar de 1964 foi um “regime de clamor da população”. Na ocasião, o militar participava de cerimonia intitulada de “Revolução Democrática de 1964”, em Campo Grande (MS).

“Diante de um cenário de graves convulsões, foi interrompida a escalada em direção ao totalitarismo. As Forças Armadas, atendendo ao clamor da ampla maioria da população e da imprensa brasileira, assumiram o papel de estabilização daquele processo”, defendeu o militar no discurso.

Lourival Carvalho Silva é bacharel em ciências militares pela Academia Militar das Agulhas Negras (Aman). Desde então, concluiu vários cursos e estágios acadêmicos próprios da carreira militar, com formações relacionadas a aviação e instrução de voos, além do curso de Comando e Estado-Maior do Exército, em 1998.

A marcação da sabatina do general foi um dos pleitos levados pelo presidente do STM, ministro Luís Carlos Gomes Mattos, em encontro com o presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (PSD-MG). A reunião ocorreu há uma semana, em meio às tensões envolvendo as Forças Armadas e o Poder Judiciário.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

O post Senado aprova indicado ao STM que chamou ditadura de “clamor popular” apareceu primeiro em Metrópoles.