Menino de 14 anos de idade se arrepende de ter “mudado de sexo” Patrick foi diagnosticado com “disforia de gênero” e fez cirurgias para “virar menina”.

Ele disse que foram precipitados em julgar que ele sofria de disforia de gênero, e hoje se arrepende da decisão da família

0
Patrick hoje lamenta que foram precipitados em achar que ele sofria de disforia de Gênero

 

O australiano Patrick Mitchel tinha apenas 12 anos de idade quando foi diagnosticado que sofria de “disforia de gênero”. Com autorização da família, começou um processo de “mudança de sexo”. Contudo, dois anos após a cirurgia que o transformou em uma “menina”, ele diz estar arrependido e que ainda se sentia membro do sexo masculino conforme publicado no site Britânico Dailymail. 

Desde então ele vem fazendo um doloroso processo para voltar ao sexo com que nasceu, incluindo tratamentos cirúrgicos.

A mãe permitiu que seu filho tomasse hormônios femininos para desenvolver nele a feminilidade

“Desde quando ele era mais jovem, vestia roupa feminina”, justifica Alison, a mãe de Patrick. Seu filho começou a tomar hormônios de estrogênio, que lhe ajudou a desenvolver seios e deixou o cabelo crescer.

Desde pequeno mostrava curiosidade pelo universo feminino

Em entrevista ao programa 60 minutes, Mitchell, que hoje tem 14 anos explica que ser menina não é como ele pensava. Por isso, optou pela “destransição”.

Alison admite que o filho já não demonstra mais a antiga confusão a respeito de sua identidade sexual. Ela reclama que os médicos foram “precipitados” ao darem o diagnóstico de disforia de gênero quando ele tinha apenas 12 anos.

os hormônios de estrogênio fizeram seu cabelo crescer e desenvolver outros características femininas em seu corpo

“Fico triste que ele estivesse confuso e pelos tempos difíceis que passou, mas estou muito feliz com quem ele é hoje”, encerrou.

Agora a família faz planos para ir a Coreia do Sul para que o menino possa fazer a cirurgia de retirada das mamas. É um dos únicos países do mundo que aceita fazer essa operação em menores de idade.

Deixe um Comentário

Deixe um comentário
Digite seu nome aqui