Homem é suspeito de jogar pedra na barriga de adolescente grávida em BH

0

Uma adolescente de 15 anos, grávida de sete meses de gêmeos, foi parar, na madrugada de domingo (1), no hospital em Belo Horizonte depois de levar uma pedrada na barriga e sofrer outras lesões. O suspeito pela violência é o companheiro dela e pai dos seus filhos, Marco Túlio Alves Batista, 23, que já foi denunciado outras duas vezes por agressões à vítima. Apesar do histórico, não haveria medida protetiva contra ele.

A Polícia Militar (PM) foi acionada por volta das 2h da madrugada de domingo para separar uma briga entre casal na rua Espírito Santo, no centro da capital. Eles haviam passado a noite em um pagode nas imediações. Quando a PM chegou ao local, a adolescente estava ferida, com uma mancha vermelha na barriga, onde a pedra bateu, e lesões nos olhos. Ao ser questionada, ela disse aos policiais que foi agredida por Batista.

Durante a abordagem, o homem ainda teria dito que mataria a adolescente por conta da denúncia. A ameaça foi registrada pelos policiais e será inserida na autuação em flagrante, de acordo com o delegado Alfeu Egídio Gomes, responsável pelo plantão na Central de Flagrantes da Polícia Civil 2 (Ceflan 2), no bairro Floresta, na região Leste da capital.

A grávida foi levada imediatamente pelos PMs para a maternidade Ilda Brandão, no bairro Santa Efigênia, onde teve alta na madrugada de domingo. Batista continua preso. À reportagem, o suspeito negou que tenha batido ou ameaçado a adolescente e disse que os dois estavam sob efeito de cocaína. Segundo ele, as agressões partiram da ex-mulher dele, com quem também teve gêmeos, e que estava no pagode.

“Mesmo na presença da PM, ele estava bastante exaltado e a ameaçou de morte”, relatou o delegado. Batista já foi parar na Ceflan duas vezes por agressão à companheira. Ele também tem passagem por tráfico de drogas, roubo e furto. Ele alegou, entretanto, que já foi condenado e cumpriu as penas. “Hoje eu regenerei, sou lavador de carro. Se tivesse batido nela, com o histórico que eu tenho, jamais ficaria ali esperando a polícia chegar, teria fugido”, afirmou. “Precisamos saber o que aconteceu, porque essa adolescente grávida estava sozinha na rua, em situação de vulnerabilidade, sem a presença dos pais”, disse o delegado.

Defesa

Bebida. Marco Túlio Batista alegou que jamais bateria na mãe de suas filhas. Ele contou que estava bebendo e usando cocaína no pagode quando viu a adolescente brigando com sua ex-mulher.

Flash

Sumiço. Policiais foram até a casa da adolescente, em Ibirité, na região metropolitana da capital, mas ela não havia sido encontrada até a tarde de domingo.

Deixe um Comentário

Deixe um comentário
Digite seu nome aqui