Marília Mendonça diz que já foi amante e desabafa: “Sempre será segunda opção”

0

 

A cantora Marília Mendonça (Foto: Divulgação

A cantora Marília Mendonça falou em entrevista para o jornalista Leo Dias que já foi amante em uma fase da sua vida. “Já fui (amante). Fui amante mais nova, com uns 17 anos, mas amante de namoro. Não com homem casado”, revelou.

“Não fiz mais porque não acho legal. Você vai sempre ser a segunda opção”, garantiu a sertaneja. “Não com aquele relacionamento lá, viu? Aquele lá já tinha largado”, falou ela sobre o flagra que sofreu há um tempos com o ator Matheus Corcione.

A loira, que fala sempre sobre a sofrência das mulheres, afirmou: “Um cara que está com a mulher não vai largar a mulher dele para ficar com você. E se ele largar, vai fazer a mesma coisa com você. Então não vale a pena”.

MARÍLIA MENDONÇA RELEMBRA COMO FOI CANTAR EM PÚBLICO PELA PRIMEIRA VEZ:

Carro chefe do time feminino que vem dominando o sertanejo no Brasil, a cantora Marília Mendonça foi o destaque deste sábado (04) do programa “Altas Horas”. Na atração, ela falou da vida pessoal e também sobre a carreira, inclusive contou como tudo começou.

Se você acha que ela começou cantando em bares, como muitos que adentram na carreira musical, está muito enganado. A primeira vez de Marília foi em uma igreja, e não foi nada fácil.

A primeira vez que eu fui cantar na igreja foi engraçado, porque eu esqueci a letra, comecei a chorar e chamei a minha mãe. Eu tinha uns 10 anos de idade. Aos 12 eu já estava na sofrência, eu fiz a minha primeira música aos 12 anos”, revelou a cantora.

Marília ainda não tinha banda ou acompanhamento de instrumento quando começou a cantar. Era tudo na base do playback. Mas calme! Era mais do que normal.

Todas as adolescentes da igreja cantavam assim. Isso em Goiânia. Eu nasci em Cristianópolis, mas fui lá só para nascer. Inclusive, estou devendo uma visita, porque fiquei sabendo que sou o orgulho de lá. Não voltei ainda!”, conta.

A “sofrência” destacada em sua música mostra o reflexo de uma infância difícil:  “Na minha sofrência, eu conto uma história e termino sempre com um final feliz para o lado da mulher, não sei se vocês perceberam. Nem sempre as coisas funcionaram assim na minha vida. E nem sempre as músicas terminaram como eu quis”.

Outro destaque na participação de Marília foi quando ela falou sobre os irmãos. Já houve briga feia até por comida.

Já bati e apanhei. Eu tenho alguns irmãos por parte de pai que eu perdi o contato já faz um tempo. Depois que o meu pai faleceu, a gente nunca mais se viu. São ‘apenas’ oito irmãos por parte de pai. Meu pai era ‘o’ cara. E tenho um irmão que mora comigo, meu irmão mais novo, que a gente já pegou umas brigas pesadas pelo pedaço maior de bife”, finaliza.

Deixe um Comentário

Deixe um comentário
Digite seu nome aqui