Onda amarela é suspensa e vários setores da economia terão que fechar em Minas

0
Programa Minas Consciente setoriza atividades econômicas em quatro ondas e condiciona reabertura a diferentes critérios

Dez cidades mineiras que estavam na onda amarela do programa Minas Consciente terão que retornar para as ondas brancas e verdes, conforme decisão da Secretária de Estado de Saúde (SES), divulgada nesta quinta-feira (25). As cidades fazem parte da macroregião de saúde Leste do Sul.

O governo do Estado suspendeu a onda amarela com o objetivo de conter a pandemia pelo novo coronavírus (Covid-19). Nesta quinta, a ocupação dos leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), em Minas, bateu um novo recorde chegando a 91,93%. 

“Precisamos ter em mente que ainda não vencemos o jogo – ainda devemos estar em 20 minutos do primeiro tempo. Isso vai demandar paciência e comprometimento da população. Um Estado sozinho não consegue fazer tudo. Estamos tomando todas as medidas necessárias e, por isso, o Estado está mais estruturado a cada dia. Mas, se as pessoas estiverem fazendo churrasco, saindo de casa desnecessariamente e reduzindo o uso de máscara e a higiene das mãos, não teremos como conter o avanço dessa pandemia. Peço a todos que participem desse esforço”, disse o governador Romeu Zema (Novo), pela assessoria de imprensa. 

O programa Minas Consciente foi criado pelo governo para a estabelecer a reabertura da economia do Estado frente à pandemia. Na onda verde podem funcionar somente os  serviços essenciais; na onda branca, os de baixo risco; já na onda onda amarela eram autorizados serviços de médio risco e  na onda vermelha, os de alto risco – nenhum cidade aderiu a essa última. CLIQUE AQUI e saiba mais sobre as ondas. 

  “A orientação do grupo técnico é que a macrorregião Leste do Sul volte para a onda branca, unindo-se às regiões Norte e Sul, que têm uma taxa de ocupação de leitos controlada até o momento. Como forma de prevenção, deverão ser fechados temporariamente estabelecimentos como papelarias, salões de beleza e lojas de roupas. Podem continuar funcionando os serviços essenciais e as atividades autorizadas na onda branca, a exemplo das autoescolas, lojas de artigos esportivos e floriculturas”, informou a secretaria. 

 Ainda segundo a secretária, as outras 11 macrorregiões de saúde deverão seguir os protocolos da onda verde abrindo somente os serviços essenciais, como padarias, farmácias e supermercados. O governador Romeu Zema salientou, por nota, que algumas cidades mineiras já decretaram o lockdown, ou seja, fechamento de todo comércio para conter a pandemia. 

“Provavelmente, não decretaremos lockdown em todo o estado, pois Minas possui um território muito amplo e precisamos avaliar a situação de cada região. Mas não descartamos a possibilidade de fechar as regiões que estiverem mais críticas. É uma medida extrema, mas que pode ser necessária para preservar a saúde de todos os mineiros”, disse.

Até esta quarta-feira, 156 cidades de Minas já tinham aderido ao Minas Consciente. “O plano tem objetivo de orientar as prefeituras. Fica a critério de cada prefeito aderir e seguir os protocolos em seu município”, informou a secretaria. 

Os municípios terão que retornar as ondas verdes e brancas a partir do próximo sábado (27). A relação entre o número de leitos e a incidência de novos casos, além do tempo médio para internação após solicitação, não permitem uma folga confiável se a demanda crescer em decorrência da reabertura de novos estabelecimentos”, concluiu a secretária. 

Veja as cidades que vão ter que sair da onda amarela:

Acaiaca

Barra Longa 

Canaã

Manhuaçu 

Matipó

Paula Cândido

Ponte Nova

Raul Soares 

Serecita 

Teixeiras

Deixe um Comentário

Deixe um comentário
Digite seu nome aqui