Advogado que tentou matar ex no Buritis é julgado em BH nesta sexta-feira

0
Demétrio Antônio Vargas

Começa na manhã desta sexta-feira (28), o julgamento do advogado Demétrio Antônio Vargas de Mattos, que tentou matar a ex-namorada no bairro Buritis, na região Oeste de Belo Horizonte. A sessão ocorre no Fórum Lafayette, no Barro Preto, região Centro-Sul da capital. 

A vítima, Kely Loiola Pereira, de 44 anos, chegou ao fórum por volta das 8h45 em companhia da advogada. 

“De 2017 para cá foi uma constante luta. Foram três anos difíceis, e hoje eu espero que a justiça seja realmente concluída e que ele pegue uma pena. Eu sou a oitava vítima dele. Acordei muito ansiosa. A lembrança mais forte que eu tenho daquilo tudo é da minha filha me encontrar no João 23 do jeito que eu estava, toda machucada. Ela achou que eu fosse morrer e isso me doeu demais”, disse. 

Kely foi espancada no dia 1 de abril de 2017 na porta do prédio em que morava. Após ficar cerca de um ano com o advogado, ela havia terminado o relacionamento há pouco tempo quando o acusado entrou em contato dizendo que precisava pegar alguns pertences no apartamento. 

Na porta do prédio, a vítima foi surpreendida com uma rasteira, teve o pescoço pisado e a cabeça chutada várias vezes. 

A mulher ficou dois dias inconsciente no Hospital de Pronto Socorro João XXIII. Demétrio, que seria lutador de muay thai, foi preso quatro dias após a tentativa de feminícidio. Ele estava na casa da mãe. 

“Estou aqui representando as mulheres que também já passaram por isso. Eu espero que as mulheres não se calem e possam ir até o fim”, afirmou. 

Medida protetiva

Demétrio cumpriu 11 meses em prisão domiciliar. No entanto, ele voltou para a cadeia, em julho de 2019, por não cumprir a medida protetiva. 

Segundo Kely, ela foi informada através de um bipe que o agressor estava próximo. À época, a mãe do advogada afirmou a reportagem de O TEMPO que levava o filho e o neto para tratamentos médicos e que Demétrio não tinha intenção na aproximação da vítima.

Nesta sexta, a mãe de Demétrio, Clarisse Ferreira, também compareceu ao fórum com uma filha. 

“Quem tem transtorno mental, vocês (a imprensa) tirarem foto isso está ferindo demais a família. Meu filho não fez o que disseram. Se tivessem acesso ao processo saberiam”, se limitou a dizer.

Deixe um Comentário

Deixe um comentário
Digite seu nome aqui