Mapeamento mostra que Centro concentra maior número de casos de Covid-19 em Pouso Alegre, MG

0

Pouso Alegre é o município com o maior número de casos de Covid-19 registrados no Sul de Minas. Segundo um levantamento divulgado pela prefeitura, o Centro da cidade é onde estão a maior parte dos registros. A prefeitura começou a divulgar um novo mapeamento de casos no município.

Só no Centro, estão 10% dos casos confirmados na cidade. Conforme a prefeitura, a taxa de letalidade no município é de 1,5%, enquanto no Estado é de 2,1%.

Das pessoas que morreram por causa da Covid-19 na cidade, 93% tinham comorbidades. De todos os casos, 80,5% já são considerados curados. A secretária de Saúde do município falou sobre o novo mapeamento que está sendo divulgado.

“A partir do momento em que os casos foram aumentando bastante, a gente tem essa preocupação e é mais uma forma de informação, para que as pessoas tenham consciência com relação à proximidade da doença, que elas possam verificar que a doença também está no bairro delas, embora a doença esteja espalhada por toda a cidade, é mais uma forma de informação”, disse a secretária de Saúde de Pouso Alegre, Sílvia Regina Pereira.

Mapeamento mostra que Centro concentra maior número de casos de Covid-19 em Pouso Alegre — Foto: Prefeitura de Pouso Alegre

Apesar do Centro ser a região que mais teve casos, há outros bairros também que estão com muitos registros. O Centro teve 96 casos. O Fátima 1 e 2 juntos têm 44 casos. O bairro Cidade Jardim tem 34 registros e os bairros São Geraldo e Costa Rios têm 32 casos cada.

Na zona rural, o bairro Algodão é o que tem mais casos, com nove registros. Os bairros Canta Galo e Curralinho têm cinco casos cada. Já o Distrito do Pantano tem 11 casos.

Segundo a Secretaria de Saúde, as festas que acontecem durante o fim de semana estão complicando a vida da fiscalização e transmitindo a doença.

“Infelizmente tem sido este momento de finais de semana, quando a gente fiscaliza os bares, as festas acontecem em ambientes privados, particulares, onde a Vigilância não consegue muitas vezes entrar, mas tem acontecido com frequência as pessoas fazendo festas, aglomerações, jogando futebol, fazendo churrasco, sem nenhuma restrição, sem nenhuma preocupação nem consigo, nem com o próximo. Falta muita consciência, nós já estamos há mais de quatro meses nessa luta e ainda falta muita consciência sobre a gravidade da doença”, disse a secretária de Saúde.

Deixe um Comentário

Deixe um comentário
Digite seu nome aqui