Prefeitura de Baependi volta a abrir o comércio após semana de controle de casos de Covid-19

0

A Prefeitura de Baependi (MG) decidiu revogar o decreto que obrigava o fechamento do comércio uma semana após a decisão. Na análise do governo municipal, houve queda no registro de novos casos, o que possibilitou o retorno do comércio nesta segunda-feira (3).

A prefeitura estudava estender o decreto de fechamento do comércio por mais sete dias, mas diante da queda de casos, a Secretaria Municipal de Saúde optou pela revogação.

A medida mais rígida foi uma tentativa da prefeitura de controlar a transmissão do coronavírus na cidade e foi tomada após o município registrar a primeira morte pela doença. Os casos tinham crescido rapidamente na cidade, que tinha cinco casos em 10 de julho e saltou para 33 registros no dia 27, com a média de 14 casos por semana.

Já entre os dias 27 de julho e 3 de agosto, durante a semana que o comércio permaneceu fechado, o número de casos foi para 42, o que indica um aumento de nove novos casos, com uma queda de 35,7%.

“Houve uma diminuição da curva de pacientes infectados e também pela adesão da população às medidas de prevenção. Baependi ainda está em estado de alerta pois ainda há a transmissão comunitária do vírus em nosso município”, detalhou o secretário de Saúde Wesley Maciel.

Durante os sete dias, apenas serviços essenciais puderam funcionar, respeitando as regras de segurança, como distanciamento social e higienização das mãos e ambientes. Padarias poderiam atender apenas na porta.

Também foi vetado no período missas e demais cultos religiosos. A cidade atrai fiéis por conta do Santuário da Beata Nhá Chica.

Prefeitura de Baependi (MG) decide reabrir o comércio — Foto: Reprodução/EPTV

Com o retorno das atividades, os estabelecimentos devem seguir normas para garantir a segurança, como uso de álcool em gel, máscara e distanciamento. Igrejas e templos também podem voltar a abrir, seguindo as mesmas regras.

Ainda conforme o secretário, festas, churrascos e demais eventos com aglomeração continuam proibidos. As cachoeiras, pontos que também recebem visitantes, foram fechadas por decreto. Quem for flagrado nestes locais, recebe multa. O valor é de R$ 160. No caso dos estabelecimentos, a multa por descumprimento de regras chega a R$ 400.

As barreiras sanitárias, montadas desde março, também seguem nas entradas da cidade para controle de acesso, proibindo entrada de visitantes. A prefeitura colocou em funcionamento o telefone do disque denúncia para notificação de irregularidades. O número é (35) 3343-3742.

Deixe um Comentário

Deixe um comentário
Digite seu nome aqui