‘Tiraram a vida dele por engano’, diz viúva de idoso executado em Ibirité

0
Homem é confundido com estuprador e é morto em casa na frente da esposa em Ibirité

Após passar o dia todo trabalhando para consertar um problema na laje de casa, em Ibirité, na região metropolitana de Belo Horizonte, o aposentado Raimundo Nonato, de 72 anos, tomou um banho, tirou um cochilo no sofá de casa e se preparava para assistir TV com a companheira quando bateram no portão da residência da família, nessa terça-feira (18). Do outro lado estavam três criminosos que, covardemente, invadiram o imóvel, agrediram o idoso e atiraram afirmando que “velho estuprador tinha que morrer”. No entanto, logo após os tiros, eles foram avisados por um outro homem que tinham matado pessoa diferente da que procuravam. 

O caso assustou moradores do bairro Morada da Serra, onde Raimundo vivia com a companheira há alguns anos. Ele era querido por todos que moravam na área. Nos fins de tarde, o casal gostava de sentar na sala para acompanhar novelas  Ontem, os dois queriam assistir ao último capítulo de uma delas. 

“Bateram no portão e ele foi atender. Quando atendeu, eles o empurraram para dentro e começaram a agredir. Eu escutei o barulho do portão, fui olhar e vi que um deles estava ajoelhado pressionando o pescoço do meu marido. Quando vi aquilo, eu empurrei o cara, e ele disse: ‘Ô, dona, você não se mete que o negócio não é com você. É com esse moço aqui porque velho estuprador tem que morrer'”, contou a companheira de Nonato, de 51 anos, que pediu para não ter o nome divulgado. 

Em desespero pelas agressões, ela ainda viu o marido ser baleado. De acordo com o boletim de ocorrência da Polícia Militar, a perícia constatou que o idoso foi atingido três vezes no tórax e uma no rosto com o uso de pistola 9mm. 

“Eu saí atrás deles e, quando cheguei perto do portão, um outro cara estava descendo e falou: ‘cara, o que você fez? Você matou o homem errado. Não era esse homem, não’. Aí eles saíram e meu marido morreu em casa, na hora”, detalhou a dona de casa.

De cara limpa

Os homens que mataram o idoso não esconderam os rostos em nenhum momento. 

Após “descobrir o engano”, o grupo ainda subiu a rua íngreme devagar, segundo moradores, “como se nada tivesse acontecido”. 

Militares fizeram rastreamento na região, mas nenhum suspeito foi identificado e localizado. 

Bandidos queriam casa com portão branco, mas invadiram residência com portão marrom

Moradores ouvidos pela reportagem de O TEMPO afirmaram que a intenção dos atiradores era invadir uma casa de portão branco. O imóvel da vítima tem o portão marrom.

“De um dos quartos aqui de casa deu para ouvir os tiros, e a esposa dele começou a chamar por ajuda. Ela gritava: ‘Socorro, socorro. Meu marido não, ele é inocente'”, contou uma moradora, de 23 anos, sob anonimato. 

Segundo ela, Nonato tinha bom relacionamento com os moradores do bairro. “A gente não acredita que ele tenha abusado de ninguém. Isso é mentira. Foi uma covardia o que fizeram com ele”, afirmou a jovem. 

Sem antecedentes criminais

De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Civil, em análise preliminar, não foi encontrado nenhuma ocorrência contra o aposentado por crimes sexuais ou qualquer outro crime. Ele não tinha antecedentes criminais. 

A perícia esteve no local e um inquérito foi instaurado para apurar o caso. As investigações estão em andamento. 

“Eu espero justiça. Se não for dos homens, de Deus. Tiraram a vida dele por engano. Não pode ficar impune, que eles sejam punidos. É isso que eu desejo”, finalizou a viúva.

Deixe um Comentário

Deixe um comentário
Digite seu nome aqui