Bebê achado com vida entre os corpos de casal morto em Betim segue internado

0
Criança foi encontrada ao lado dos corpos dos pais na noite desse domingo

Com apenas um mês e vinte dias de vida, um bebê do sexo masculino já está órfão de pai e mãe e, agora, sob os cuidados da Justiça. O pequeno foi encontrado na tarde desse domingo (18), ao lado dos corpos de um casal, assassinados a tiros no bairro Icaivera, em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte. Ele precisou ser internado por apresentar sinais de hipotermia.

A Polícia Militar (PM) acredita que o garotinho seja filho do casal – o pai, de 32, e a mãe, de 19 anos – que foi assassinado dentro da residência onde moravam. Ninguém foi preso até o início da tarde desta segunda-feira (19).
 
O Conselho Tutelar 3, que atende aos bairros Alterosas e Icaivera, informou que a criança não possui Certidão de Nascimento, apenas a Declaração de Nascido Vivo, que é um documento emitido na maternidade.

Ainda segundo o Conselho Tutelar, nenhum parente reinvidicou a guarda da criança, que segue internada em uma UPA da cidade de Contagem, também na região metropolitana.

O crime

Testemunhas revelaram que, durante a madrugada de domingo, ouviram uma discussão calorosa entre o casal e, depois de alguns minutos, aconteceram os disparos de arma de fogo. Em seguida, uma moto teria saído acelerando pela rua Cuara.

Na manhã seguinte, estranhando o silêncio na casa, um vizinho foi verificar o que estava acontecendo, já que o homem tinha costume de acordar pela manhã e ligar uma bomba de água que abastecia o imóvel. Ele acionou a PM após notar a porta da casa arrombada e ter visto o casal morto na cama. 

A criança foi encontrada em uma poça de sangue entre os corpos que estavam mortos havia cerca de 12 horas, conforme informou aos militares o médico que atestou os óbitos.

Inquérito

No local, testemunhas disseram à reportagem que o casal morava na casa desde janeiro e que não mantinha boas relações com os vizinhos.

“Ele (a vítima) vivia gritando e brigando com todo mundo, acho que por ser usuário de droga. Já a moça quase não saía de casa”, informou um vizinho, que pediu para não ser identificado. Ainda segundo ele, a casa onde a família vivia é uma propriedade particular que teria sido invadida pelas vítimas. 

Procurada, a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) disse que instaurou inquérito para apurar o duplo homicídio e que, em um momento oportuno, repassará mais informações à imprensa.

Deixe um Comentário

Deixe um comentário
Digite seu nome aqui