Duas pessoas são presas em ação de combate à comercialização de celulares irregulares em Patos de Minas

0
Operação ‘Sem Rede’ combate comercialização de celulares irregulares em Patos de Minas — Foto: Polícia Civil/Divulgação

A Polícia Civil prendeu nesta segunda-feira (5) duas pessoas e apreendeu mais de 400 celulares durante a Operação “Sem Rede”, em Patos de Minas. A ação visou o combate à comercialização de aparelhos irregulares e teve apoio da Receita Estadual e de policiais civis de Presidente Olegário, Rio Paranaíba, São Gotardo e Carmo do Paranaíba.

A investigação foi conduzida pela Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio durante quase cinco meses. De acordo com o delegado Érico Rodovalho, os alvos da operação foram estabelecimentos que vendiam celulares sem emissão de nota fiscal e equipamentos furtados ou roubados.

 
Pode-se apurar que os proprietários e funcionários tinham o intuito de adquirir aparelhos celulares de terceiros sem tomar qualquer precaução e cuidado, sendo feitas apreensões de equipamentos produtos de furtos e roubos cometidos em nossa cidade
— afirmou Rodovalho.

Os mais de 400 celulares apreendidos serão analisados durante a investigação que está em andamento. Uma arma de fogo também foi encontrada na casa de um presos, que é proprietário de mais de um estabelecimento alvo da ação.

 

Ainda segundo o delegado, a operação encontrou lojas funcionando com diversas irregularidades como falta de Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), não pagamento de impostos e venda de produtos roubados.

“Os detidos foram encaminhados para a delegacia de plantão para que fosse feito o registro da prisão em flagrante. Eles vão responder pelo crime de receptação culposa na prática comercial, além de posse de arma de fogo e serão encaminhados para presídio. A investigação procede para confirmar todos os crimes cometidos”, completou o delegado.

A Secretaria de Estado de Fazenda (Sefa) informou que a Receita Estadual apenas deu apoio à operação e todos os dados referentes aos desdobramentos deveriam ser levantados com a Polícia Civil de Patos de Minas, que não divulgou informações sobre estabelecimentos interditados ou multados.

Deixe um Comentário

Deixe um comentário
Digite seu nome aqui