Candidata a vereadora diz que recebeu oferta de cargo para desistir da disputa

0

Candidata a vereadora em Além Paraíba, na Zona da Mata, pelo Partido Progressista, Guaraciaba Ambrósio, conhecida como a “Guará de Obras”, alega ter sido procurada em sua casa pelo secretário de Obras do município, Plínio Mendes, no dia 25 de outubro, com a proposta para que desistisse de sua candidatura ao cargo de legisladora do município. Em troca, a candidata poderia escolher qualquer função com salário de alto valor.  

Guaraciaba Ambrósio é funcionária pública e exerce o cargo de calceteira na Secretaria de Obras do município. Calceteiro é o operário que trabalha no calcamento de ruas ou de outras superfícies com pedras e/ou paralelepípedos. A oferta teria sido feita pelo secretário de Obras, Plínio Mendes.  

A candidata contou à reportagem de O TEMPO que, na ocasião em que teria sido feita a oferta, junto com o secretário estavam Bruno Bauer (comissionado na Secretaria de Esportes) e Adilson Dultra, que é coordenador de campanha à reeleição do atual prefeito de Além Paraíba, Miguel Belmiro (DEM), conhecido por “Miguelzinho”. 

Segundo Guaraciaba Ambrósio, o prefeito não teria falado com ela pessoalmente, pois quando estaria sendo levada por Bruno Bauer para o encontro com o chefe do Executivo municipal, Bauer teria avistado Flávio Henrique, jornalista do portal Além Paraíba, que saberia da oferta, após ter sido informado pela candidata, o que teria feito o motorista sair em fuga pela cidade. 

“Eu fui informado pelo comitê da candidata de que ela estava sendo levada para um cartório aqui da cidade para iniciar o processo de desistência e depois se encontrar com o prefeito. O Bruno Bauer, quando me viu, ainda disse que iria encher minha cara de soco. Após a ofensa, ele saiu em fuga pela cidade”, contou o jornalista. 

Com a desistência de Guará, o candidato de oposição ao atual prefeito, a qual seu partido apoia, teria que retirar mais três candidatos da sua base de apoio. A situação se dá pela Emenda Constitucional 97/2017 que impede as coligações. Guará cumpre a cota de 30% de mulheres, que é um dos reflexos da emenda, portanto isso deixa que seu candidato concorra à prefeitura. 

Bruno Bauer, por telefone, disse que não sabia de nada do que foi acusado. O secretário de Obras, Plínio Mendes, foi procurado pela reportagem, mas não atendeu o telefone. O prefeito Miguelzinho não foi encontrado para falar sobre o fato, porém seu secretário de Administração, Cultura, Turismo, Lazer e Esporte, Pablo Teófilo, decidiu falar por ele. 

“Em respeito a cada eleitor, e seguindo o caminho de nossa campanha de maneira limpa e transparente, não temos nada a declarar. Nosso compromisso continua com a lisura, e qualquer acusação caberá defesa, e a verdade dos fatos será apresentada no momento oportuno”, declarou. 

Na manhã da última terça-feira, o Ministério Público aceitou o pedido de afastamento do secretário Plínio Mendes. A ação segue agora para o juiz responsável, que poderá decidir se ele deve ser afastado ou não de suas funções até o dia 16 de novembro, como solicita a ação. 

Deixe um Comentário

Deixe um comentário
Digite seu nome aqui