Secretaria de Saúde de Montes Claro confirmou o primeiro caso da variante delta do coronavírus

0
Segundo as informações da secretária de Saúde, Dulce Pimenta, o homem, de 30 anos, teve a infecção por Covid-19 confirmada em 20 de julho, familiares dele também testaram positivo

Via G1 Grande Minas 

A Secretaria de Saúde de Montes Claros (MG) confirmou o primeiro caso da variante delta do coronavírus. A informação veio por meio de uma amostra analisada aleatoriamente pela Fundação Ezequiel Dias (Funed).

Segundo a secretária de Saúde, Dulce Pimenta, o homem, de 30 anos, teve a infecção por Covid-19 confirmada em 20 de julho, familiares dele também testaram positivo.

“A situação é de alerta, a variante delta já tinha sido identificada em três municípios mineiros, Montes Claros é o quarto município e o primeiro município do Norte de Minas. A principal característica da delta é a alta transmissibilidade, o contágio dela é muito maior do que nas outras variantes”, fala.

Ainda conforme Dulce Pimenta, a Secretaria de Saúde fez a investigação do caso identificado em Montes Claros para verificar como ao paciente foi infectado.

“Esse paciente não viajou para fora e nenhum dos seus familiares teve viagem próxima ao aparecimento do quadro sintomático, significa que eles pegaram de outra pessoa que, provavelmente, não foi identificada ainda.”

Essa situação preocupa a secretária, já que nos outros casos em MG foi possível identificar que os infectados pela delta tiveram contato com pessoas que estiveram em locais nos quais já havia a transmissão comunitária da variante, diferente do que foi confirmado em Montes Claros.

“A chance de termos essa variante circulando no nosso município é maior do que os outros municípios”, completa.

Logo após a confirmação da Funed, as autoridades de saúde do município se reuniram para elaborar um plano de contingência, que inclui a capacitação da rede de assistência com orientações sobre os sintomas da delta e também reforço nas orientações sobre o uso dos equipamentos de proteção individual no atendimento de todos os pacientes.

Dulce Pimenta também afirmou que o paciente infectado tomou a primeira dose da vacina contra a Covid-19 recentemente. Inclusive, ela reforça que a vacinação e as medidas de prevenção são imprescindíveis para evitar uma nova onda do coronavírus.

“O alerta é para que toda a população reforce as medidas de proteção, como evitar aglomeração, uso de máscara e também higienização das mãos. Tomando essas medidas no nosso município, a gente pode evitar a terceira onda já que a capacidade de transmissão por essa variante é maior. Se mantivermos as medidas de proteção aliadas a quantidade de pessoas já vacinadas em nosso município a gente pode evitar a terceira onda.”

A secretária ainda destacou que se houver “um agravamento do quadro epidemiológico, que é o aumento do número de casos ou aumento da incidência, vamos ter que tomar medidas coletivas para a proteção de toda a população”, o que, segundo ela, impactaria na flexibilização das atividades.

O que é a variante delta?

A delta, também chamada de B.1.617, foi identificada pela primeira vez na Índia em outubro de 2020. A variante está por trás de uma nova onda de infecções em Israel, Reino Unido, Estados Unidos e países asiáticos, como China e Indonésia.

Essa cepa apresenta uma modificação na proteína que fica na superfície do vírus, responsável por se conectar aos receptores das células humanas e dar início à infecção.

Apesar dos estudos apontarem que a delta é mais transmissível, ainda não é possível afirmar que sua letalidade é maior ou que provoque casos mais graves.

Deixe um Comentário

Deixe um comentário
Digite seu nome aqui