Ministério Público de Minas Gerais condena homem à 39 anos de prisão; acusado de matar casal carbonizado em Pouso Alegre

0
Corpos foram encontrados embaixo de ponte em Pouso Alegre — Foto: Reprodução/EPTV

Via G1 Sul de Minas 

O acusado de matar um casal carbonizado embaixo de uma ponte em Pouso Alegre foi condenado a 39 anos de prisão por meio de Júri Popular. A sentença foi divulgada pelo Ministério Público de Minas Gerais nesta quinta-feira (2). O crime ocorreu em setembro de 2018 e o suspeito havia sido preso um dia depois do crime.

No julgamento, segundo o MPMG, o júri acatou as teses apresentadas pelo Ministério Público e condenou o acusado a 39 anos de prisão, sem a possibilidade de recorrer em liberdade.

Ainda confirme o MP, no homicídio da vítima do sexo masculino, o Conselho de Sentença reconheceu o uso de fogo, recurso que dificultou a defesa da vítima e ato para assegurar a impunidade de outro crime (estupro). Já na morte da pessoa do sexo feminino, segundo o MP, o júri reconheceu ainda uma quarta qualificadora: o fato de a vítima ser mulher, o que configura crime de feminicídio.

O crime

Os dois corpos carbonizados foram encontrados na manhã do dia 26 de setembro em Pouso Alegre. De acordo com a Polícia Militar, as vítimas foram encontradas embaixo de uma ponte no bairro Belo Horizonte por volta das 6h30 após uma denúncia.

As vítimas eram moradores de rua, que, segundo a polícia, costumam frequentar o local do crime. Os corpos foram encontrados embaixo de uma ponte e uma necropsia concluiu que o casal foi queimado ainda vivo.

Um dia depois, a Polícia Civil prendeu o suspeito pelo crime. O homem, que na oportunidade tinha 37 anos, foi identificado por meio de imagens de uma câmera de segurança.

Deixe um Comentário

Deixe um comentário
Digite seu nome aqui