Dallagnol terá de apagar vídeo em que chama STF de “casa da mãe joana”

0

A Justiça Eleitoral do Paraná mandou o ex-procurador da República Deltan Dallagnol (Podemos) excluir das redes sociais vídeo com críticas ao Supremo Tribunal Federal (STF). Dallagnol foi coordenador da Operação Lava Jato e hoje concorre a uma vaga para a Câmara dos Deputados.

Na gravação, Dallagnol diz que o STF “se tornou a casa da mãe Joana, uma mãe para os corruptos do nosso país”.

“Foi aqui também que aconteceu a metamorfose de um político que passou de presidente condenado por corrupção para candidato a presidente”, acrescentou, em referência a decisões que beneficiaram o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e abriram caminho para o petista disputar as eleições.

Decisão liminar

A decisão é da juíza Melissa de Azevedo Olivas, do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR). Ao deferir liminar, a magistrada entendeu que o conteúdo é “claramente um ataque à instituição suprema do Poder Judiciário brasileiro”.


Publicidade do parceiro Metrópoles 1


Publicidade do parceiro Metrópoles 2


0

Olivas ainda destaca que “a divulgação das postagens em redes sociais de alta capilaridade implica no alcance de um público numeroso, o que é prejudicial à democracia do país e não se admite”, diz. Assim,

Dallagnol foi condenado a excluir as postagens, no prazo de um dia. Se não cumprir a decisão, pode ter de desembolsar multa diária de R$ 5 mil.

O post Dallagnol terá de apagar vídeo em que chama STF de “casa da mãe joana” apareceu primeiro em Metrópoles.