“Nós não vamos permitir uma guerra nuclear”, diz Joe Biden na ONU

0

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, renovou as acusações contra a Rússia durante o discurso Assembleia-Geral da ONU, nesta quarta-feira (21/9). O lider norte-americano dedicou a primeira parte do pronunciamento para falar sobre as ameaças nucleares feitas pelo presidente russo, Vladmir Putin.

“Uma guerra nuclear não pode ser ganha, e não deve nuncar ser lutada. Hoje, estamos vendo mudanças perturbadoras nessa diretriz da ONU. Hoje, eles estão fazendo ameaças inaceitáveis […]. Nós não vamos permitir uma guerra nuclear”, frisou.

Durante o discurso, Biden chamou o confronto no leste europeu deu uma “guerra brutal e desnecessária”, escolhida por um homem.  “Um membro permanente do Conselho de Seguraça da ONU invadiu um país vizinho, e tentou apagar um estado soberano do mapa”, afirmou.


Publicidade do parceiro Metrópoles 1


Publicidade do parceiro Metrópoles 2


Publicidade do parceiro Metrópoles 3


Publicidade do parceiro Metrópoles 4


Publicidade do parceiro Metrópoles 5


Publicidade do parceiro Metrópoles 6


0

O presidente dos EUA ressaltou que o Kremlin desrespeitou princípios da Carta das Nações Unidas, documento fundador da entidade. Apesar de não pedir a expulsão do país do Conselho de Segurança — colegiado mais poderoso da organização —, afirmou que a Rússia desrespeita um dos tópicos fundamentais da carta, ao ameaçar e usar a força contra a integridade territorial ou soberania nacional de outra nação.

“Hoje, Putin fez ameaças nucleares à Europa. A Rússia está chamando mais soldados para entrar na guerra e o Kremlin está organizando um referendo falso para anexar parte da ucrânia, uma violação sem limites das diretrizes da ONU”.

A declaração de Biden é uma resposta à fala de Putin, em que ele decretou a primeira mobilização do país desde a Segunda Guerra Mundial. A intenção do Kremlin é convocar 300 mil cidadãos – que já tiveram alguma experiência militar – para a guerra contra a Ucrânia.

“O mundo deveria ver esses atos ultrajantes pelo que eles são. Putin disse que tinha que agir porque a Rússia estava ameaçada, mas ninguém estava ameaçando a Rússia. Hoje, vemos ataques a escolas, estações, hospitais, centros de cultura ucranianos, em manifestações horríveis das atrocidades cometidas pela Rússia”.

O post “Nós não vamos permitir uma guerra nuclear”, diz Joe Biden na ONU apareceu primeiro em Metrópoles.