Primeira-dama do RJ usa evento do estado no Cristo para fazer campanha

0

A primeira-dama do Rio de Janeiro, Analine Castro, usou um evento promovido por um órgão do governo do estado para pedir votos para a reeleição de seu marido, Cláudio Castro.

O fato ocorreu nesta quarta-feira (21/9), em cerimônia no Cristo Redentor promovida pela Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos. O evento “De braços abertos para a inclusão” seria, em tese, uma missa para celebrar o Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência.

No local, porém, Analine usou um adesivo com o número de Castro e pediu votos para o marido. Nas redes sociais, publicou foto do evento e um texto sobre pessoas com deficiência, acompanhado do número de urna do governador.

Integrantes de outras ONGs e de famílias de pessoas com deficiência não sabiam que Analine estaria no evento e ficaram incomodados com o uso político feito do evento. Uma delas, em contato com a coluna sob a condição do anonimato, disse que turistas que visitavam o Cristo também se incomodaram e questionaram se era legal fazer campanha num espaço turístico e, para muitos, também religioso.

O convite para o evento continha a logo da Secretaria de Desenvolvimento Social do estado.

Procurada, a primeira-dama se manifestou por meio de nota.

“Analine Castro esteve no Santuário do Cristo Redentor para assistir a uma missa em celebração ao Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência. O evento foi idealizado pela Superintendência de Políticas para Pessoas com Deficiência, com o apoio da Arquidiocese, sem o uso de dinheiro público. Apenas após a realização da cerimônia, fora da capela, é que foram tiradas fotos junto a apoiadores da campanha do governador Cláudio Castro. Cabe ressaltar que o Instituto Rio Te Ama é uma entidade privada sem fins lucrativos, portanto, suas redes sociais não possuem qualquer tipo de vinculação com as redes sociais do governo do estado.”

O post Primeira-dama do RJ usa evento do estado no Cristo para fazer campanha apareceu primeiro em Metrópoles.