CGU recomenda punição a servidores envolvidos em atos terroristas

0

A Controladoria-Geral da União (CGU) informou, na noite dessa segunda-feira (9/12), que vai orientar todos os órgãos e entidades do Poder Executivo Federal a instaurar procedimentos administrativos para “apurar e punir exemplarmente servidores públicos federais” que tenham participado dos atos golpistas e terroristas no domingo (8), na capital do país. A CGU alerta que eles poderão ser demitidos por lesão aos cofres públicos e dilapidação do patrimônio nacional.

Na tarde de domingo, milhares de apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) ocuparam a Esplanada dos Ministérios e invadiram o Supremo Tribunal Federal (STF), o Congresso Nacional e o Palácio do Planalto. As sedes dos Três Poderes foram depredadas. Os extremistas quebraram tudo o que viram pela frente, defecaram e urinaram dentro dos palácios, destruíram obras de arte valiosas, como um quadro de Di Cavalcanti avaliado em R$ 8 milhões.

Após os atos antidemocráticos e golpistas, o ministro do Supremo, Alexandre de Moraes, afastou o governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB), por um prazo de 90 dias. Assumiu o lugar do emedebista a vice Celina Leão (PP). A segurança pública do DF tem também um interventor, nomeado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Quem é Ricardo Cappelli, interventor federal da segurança no DF

Por determinação de Moraes, o interventor Ricardo Cappelli comandou pessoalmente a retirada de extremistas da área próxima ao Quartel General do Exército em Brasília nessa segunda. Mais de 1,5 mil pessoas foram presas. Também nessa segunda, Cappelli exonerou o comandante-geral da PMDF.

Sai o coronel Fábio Augusto e entra o coronel Klepter Rosa. O novo interino já atuava na gestão como subcomandante-geral do PMDF. Ele também comandou o Departamento de Gestão de Pessoal da PMDF. A corporação é acusada de omissão durante os atos golpistas.

Veja nota completa da CGU:

“Diante dos nefastos fatos ocorridos neste domingo, dia 08 de janeiro, a Controladoria-Geral da União (CGU) informa que orientará todos os órgãos e entidades do Poder Executivo federal a proceder à devida instauração de processos administrativos para apurar e punir exemplarmente servidores públicos federais que, tendo participado dos atos de invasão de repartições e depredação do patrimônio público, atentaram contra os deveres de lealdade às instituições e de moralidade administrativa que devem orientar a atuação do agentes públicos e, principalmente, contra o Estado Democrático de Direito, os quais poderão ser demitidos por lesão aos cofres públicos e dilapidação do patrimônio nacional.”

Veja imagens da invasão às sedes dos Três Poderes:

Congresso Nacional:


Publicidade do parceiro Metrópoles 1


Publicidade do parceiro Metrópoles 2


Publicidade do parceiro Metrópoles 3


Publicidade do parceiro Metrópoles 4


Publicidade do parceiro Metrópoles 5


0

Palácio do Planalto:


Publicidade do parceiro Metrópoles 1


Publicidade do parceiro Metrópoles 2


0

Supremo Tribunal Federal:


Publicidade do parceiro Metrópoles 1


Publicidade do parceiro Metrópoles 2


Publicidade do parceiro Metrópoles 3


Publicidade do parceiro Metrópoles 4


Publicidade do parceiro Metrópoles 5


Publicidade do parceiro Metrópoles 6


Publicidade do parceiro Metrópoles 7


0

The post CGU recomenda punição a servidores envolvidos em atos terroristas first appeared on Metrópoles.