Laporta admite que “ruína financeira” o obrigou a abrir mão de Messi

0

Joan Laporta não gostaria de ter aberto mão do ídolo Messi em 2021. O presidente até teve relações cortadas com o astro argentino por não conseguir a renovação do contrato. Nesta quinta-feira (5/1), o presidente do clube catalão deu explicações sobre o motivo de não ter chegado a um acordo e explicou que “teve de colocar o clube na frente do melhor jogador do mundo.”


Publicidade do parceiro Metrópoles 1


Publicidade do parceiro Metrópoles 2


Publicidade do parceiro Metrópoles 3


0

 

Em entrevista ao programa Que T’hi Jugues, da SER Catalunya, o dirigente garantiu que já se entendeu com o astro argentino e falou que as portas do Barcelona estarão sempre abertas para um retorno após o fim do contrato com o Paris Saint-Germain – terminaria em julho, mas o astro teria um acordo verbal de mais um ano com os franceses.

“Leo sempre fará parte da história e gostaria que ele tivesse um final diferente do que teve”, disse Laporta, antes de explicar o motivo do adeus. “Tive de colocar a instituição acima do melhor jogador da história naquele momento de ruína financeira. Isso me deixou muito triste, mas não consegui conter. O contrato acabou e ficamos em ruínas”, explicou.

Laporta explicou que, mesmo com a redução drástica de salário, LaLiga não permitiria ao clube a renovação e, ao mesmo tempo, a inscrição dos jogadores contratados na época sem superar o Fair Play Financeiro. Mesmo com o rompimento, o dirigente garantiu que o clube não deve valores a Messi e festejou a volta de diálogo entre ambos. “Sim, temos um relacionamento.”

Sonhando com a aposentadoria do camisa 10 vestindo a camisa do Barcelona, ele evita se alongar no assunto por causa do acordo com o PSG. “Quero que a despedida de Messi do Barça seja diferente (da saída conturbada). Existem várias opções, mas não quero falar sobre isso porque atualmente ele é jogador do PSG e depois vêm mísseis de todas as partes.”

Sobre o título mundial da Argentina, o dirigente revelou que chorou por causa do astro. “Fiquei emocionado e uma lágrima escapou quando vi o Messi erguer o Mundial porque era algo muito importante para ele”, revelou.

Outro assunto que envolve Barcelona e PSG é uma possível proposta dos franceses para o atacante Dembélé. Laporta, contudo, foi enfático ao garantir que o jogador não deixa o clube. “Dembélé não está à venda, é um dos jogadores mais importantes que temos. Sente-se importante e para nós é muito importante, sendo um dos pilares desta equipe.”

Aproveitou para anunciar que o elenco está fechado. “Não haverá movimentação no mercado de inverno. Já fizemos o trabalho no verão. Xavi está satisfeito, apesar de sabermos que sempre é possível melhorar e faremos isso quando for a hora. Mas acreditamos que podemos enfrentar isso nesta temporada com o elenco que temos.”

The post Laporta admite que “ruína financeira” o obrigou a abrir mão de Messi first appeared on Metrópoles.