Luto, Covid e polêmica na TV: SP fica sem o tradicional Bolo do Bixiga

0

São Paulo – Após 28 anos de tradição e um caminho cheio de percalços, o tradicional Bolo do Bixiga, servido em todo aniversário de São Paulo, não existirá neste 25 de janeiro.

A família responsável por organizar a festa decidiu não servir o bolo, ícone do aniversário da cidade desde 1986, após a morte do empresário Water Taverna, de 88 anos, um dos idealizadores do evento. Considerado um dos “patronos” do Bixiga, tradicional bairro italiano no centro da capital paulista, ele morreu em maio de 2022.

“Nós ainda estamos de luto, meu pai era uma pessoa muito carismática, muito voltada para a comunidade e a ausência dele deixou todos nós em uma comoção muito grande. Nós da família estamos ainda dentro desse sentimento, mas obviamente que a comunidade, os apoiadores, os parceiros entram nessa comoção também”, afirma Solang Taverna, filha de Walter.

Herdeira da família, Solang administra a Cantina da Conchetta, no Bixiga. Segundo afirma, a falta de recursos para bancar a festa também se tornou entrave para o bolo de aniversário de São Paulo. “Na verdade, esse trabalho deveria ser feito pela prefeitura. (O evento) está no calendário oficial da cidade”, diz.

O Bolo do Bixiga é parte oficial das festividades do aniversário de São Paulo desde 2015. Além dos patrocinadores, o evento costumava contar com verbas de emendas parlamentares de vereadores ligados ao bairro.

Polêmica com programa de TV

O Bolo do Bixiga chegou a entrar no livro dos recordes como o maior bolo do mundo. Apesar da ausência inédita em 2023, essa não é a primeira vez que o evento se depara com dificuldades.

Em 2009, a festa viu seus patrocinadores se afastarem após uma polêmica envolvendo o programa Pânico na TV. Isso porque a equipe do programa humorístico apareceu na festa do ano anterior e incentivou uma guerra de bolo entre as crianças presentes.

À época, a atração ainda carregava uma antiga tradição, conhecida como “avanço”: as pessoas da comunidade literalmente avançavam sobre o enorme bolo que era colocado em cima uma mesa.

“Eles começaram a pegar o bolo e a jogar na comunidade. E o principal apoiador, o Senai, que era quem confeccionava o bolo, não se sentiu bem em continuar com essa confecção, porque não queria atrelar uma instituição de ensino a um vandalismo”, conta Solang.

Segundo relata, as imagens da “guerra de bolo” foram reproduzidas diversas vezes pelo programa ao longo do ano. A comunidade, que utilizava a cozinha do Senai para fazer o bolo, acabou informada que não poderia mais contar com a estrutura da instituição.

Diante disso, os organizadores tiveram de reformular o modelo como o doce era distribuído à população.

“Entre 2009 e 2017 aconteceu de outra forma. A festa passou a ter show, nós ganhamos um patrocínio que dava bolinhos industrializados para a gente distribuir, mas aquela coisa da mesa nós ficamos esse período sem fazer”, conta Solang.

Retomada e pandemia

A partir de 2017, a comunidade e os patrocinadores retomaram a antiga tradição do bolo: a “guloseima” colocada em uma enorme mesa, com a metragem de acordo com os anos da cidade de São Paulo. Naquele ano, a capital completou 463 anos. O bolo, portanto, teve 463 metros.

Bolo do Bixiga
Tradicional Bolo do Bixiga sendo cortado pelo então prefeito Bruno Covas, Walter e Solang Taverna

“Nós construímos o formato da mesa de novo, com a comunidade trazendo os bolos. Começamos a fazer um bolo comunitário, foi muito bonito. Passamos a distribuir o bolo mão a mão. Foi assim por mais quatro anos”, relata Solang.

Em 2021, foi a vez da pandemia do coronavírus atrapalhar os planos. A saída foi fazer um “bolo virtual”, em que moradores e comerciantes reuníram 467 vídeos e fotos de pessoas com pedaços de bolo desejando parabéns à maior cidade do país.

Já em 2022 a ideia foi “desconstruir” o bolo em alimentos para distribuição de cestas básicas. O objetivo era arrecadar 468 toneladas de mantimentos. Segundo Solang Taverna, a ideia era ousada e ficou próxima de ser alcançada: “Conseguimos 446 toneladas”.

Futuro incerto

Solang Taverna não sabe se o Bolo do Bixiga voltará em 2024. “Nós renunciamos a coordenação dessa festividade e de uma outra que meu pai fazia, que era a Rainha do Bixiga. Justamente pelo falecimento dele, pela ausênica dele. Porque apesar de ele estar velhinho, ele ainda era a grande voz”, diz.

Apesar do sentimento de perda e de final de uma era, ela ainda se diz esperançosa que o Bolo do Bixiga volte a adoçar o aniversário de São Paulo. “Nossa cidade merece toda nossa atenção. Quem sabe com a manifestação da população nós não nos sentiremos, no futuro, animados para retomar essa festa”.

The post Luto, Covid e polêmica na TV: SP fica sem o tradicional Bolo do Bixiga first appeared on Metrópoles.