“Não acreditavam em mim”, diz Léo Santana sobre início no Parangolé

0

O titular da coluna LeoDias marcou presença no Baile da Santinha, de Léo Santana, na noite de sexta-feira (6/1) em Salvador, na Bahia, e conversou com o anfitrião. O cantor revelou que desde muito cedo sonhava em ser cantor e abriu o jogo sobre o começo da carreira. O artista compartilhou que enfrentou bastante resistência quando assumiu os vocais do Parangolé.

“Eu não nasci cantor, eu aprendi a cantar. Descobri esse dom durante meu período tocando percussão em um grupo de samba e pagode. Eu via os cantores sendo muito assediados e dizia ‘caramba, eu quero isso também’. Eu tinha 12, 13 anos, coloquei na cabeça e comecei a cantar. Pedi à minha mãe um cavaquinho, condição financeira era zero, cavaquinho de R$ 25 dividido em duas vezes. Até hoje temos ele na casa da minha mãe, do jeito que compramos ainda está lá, intacto”, detalhou Léo.


Publicidade do parceiro Metrópoles 1


Publicidade do parceiro Metrópoles 2


0

O cantor contou como foi sua chegada ao Parangolé. “O Parangolé sempre fez muito sucesso na Bahia com o antigo cantor, mas muito mesmo, de estourar um CD com 15 faixas, com todas as canções na boca do povo. Marcelo Britto resolveu retirar esse cantor e queria outro, que não era eu até então. Por intermédio de amigos em comum, me apresentaram para Marcelo e Wilson Kraychete e Marcelo de cara falou ‘quero esse menino’”.

Ainda assim, Léo revelou que enfrentou resistência no Parangolé. “Muitos músicos saíram por não acreditar. Eu entendo por um lado, mas ao mesmo tempo é pesado, eles achavam que eu não ia dar certo. A banda, em um certo ponto, estava rodando muito com o antigo cantor e, quando eu entrei, deu uma abaixada”, lembra.

Mãe

Marinalva Santana, mãe de Léo Santana, também se juntou à entrevista e disse, orgulhosa, que o filho mantém sua essência, não se deixando levar pela fama. “Continua e vai continuar até o final, foi isso que dei a ele sempre e conselho de mãe não se pode esquecer nunca”, disse ela.

O titular desta coluna questionou ainda se Léo Santana já precisou de um “puxão de orelha” por conta da fama. “Não precisou nem puxar orelha, foi com boas maneiras. Eu dizia ‘não é assim, tenha paciência, tudo vai acontecer na hora certa’ e foi assim, graças a Deus conseguiu, está acontecendo”, disse Marinalva.

Fique por dentro!

Para ficar por dentro de tudo sobre o universo dos famosos e do entretenimento siga @leodias no Instagram.

Agora também estamos no Telegram! Clique aqui e receba todas as notícias e conteúdos exclusivos em primeira mão.

The post “Não acreditavam em mim”, diz Léo Santana sobre início no Parangolé first appeared on Metrópoles.